Rio Pardo 26/02/2021 07h26

Marcas de tiros revelam que jovem foi vítima de homicídio

Cadáver de Murillo Figueiredo dos Santos foi encontrado pelo tio próximo do balneário Porto das Mesas. Polícia Civil investiga o caso

A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte de Murillo Figueiredo dos Santos, de 23 anos, ocorrida no início da madrugada dessa quarta-feira, 24, em Rio Pardo. Trata-se do primeiro homicídio registrado no município em 2021. O corpo do jovem foi encontrado por seu tio às 8h30 de quinta-feira, 25, no Rio Jacuí, cerca de 200 metros abaixo do balneário Porto das Mesas.

De acordo com o delegado Anderson Faturi, o cadáver tinha duas marcas de disparos de arma de fogo no tórax, pela frente e pelas costas. “Aguardamos o resultado da necropsia que irá indicar se os orifícios foram de um tiro que atravessou a vítima, ou se foram dois disparos que ficaram alojados no corpo”, explicou Faturi.

Familiares da vítima contaram que pouco depois da meia-noite de terça para quarta-feira, Murillo estava junto de seu avô, de 62 anos, a irmã de 9 e um primo de 14, em um barco no Rio Jacuí, quando foram alvos de disparos. O avô foi atingido por tiros de raspão no braço e outro na perna, na altura da coxa. Assustado, Murillo teria pulado da embarcação e desaparecido dentro da água. Até então, não se sabia se ele havia sido atingido pelos disparos.

LEIA MAIS: Encontrado corpo de jovem que estava desaparecido em Rio Pardo

Somente às 8 horas da manhã de quarta-feira, o pai de Murillo, que não estava no local dos fatos, ligou para a Brigada Militar (BM) e contou o que havia acontecido. Os policiais foram até o lugar indicado para colher os primeiros depoimentos das testemunhas. O Corpo de Bombeiros foi chamado para auxiliar nas buscas, com barco e cães.

Em um momento posterior, a guarnição foi até uma fazenda, indicada por parentes da vítima como sendo o local de onde partiram os disparos. Um funcionário, porém, afirmou que não viu nenhuma movimentação suspeita na ocasião.

LEIA TAMBÉM: Polícia conclui que homicídio no Progresso teve motivação passional

Buscas foram realizadas no Rio Jacuí pelo Corpo de Bombeiros na quarta-feira. Ontem, tio encontrou corpo no Porto das Mesas | Foto: Divulgação Bombeiros

“Não descartamos nenhuma possibilidade”
O registro do fato na Polícia Civil foi realizado na manhã de quarta-feira, desta vez pelo avô do rapaz, que foi até a DP. “Ele nos disse que era pescador profissional. Contou que estavam em deslocamento de barco de um acampamento, subindo o rio em direção ao balneário, quando escutou barulhos de tiros. Seu neto, então, teria se jogado na água e desaparecido”, relatou o delegado Anderson Faturi.

O corpo foi encontrado a cerca de dois quilômetros do local onde supostamente teriam ocorrido os disparos. Familiares postaram um vídeo em uma rede social, onde um estojo de munição aparece em uma área de mata com rastros de veículo, próximo do rio. Murillo não tinha registros na polícia. O avô, no entanto, tem antecedentes por crimes contra a fauna (pesca predatória e caça ilegal), furto qualificado e porte ilegal de arma de fogo.

“São margens de rio onde acontecem muito crimes de furto abigeato. Já estamos com um inquérito policial instaurado para apurar todos os fatos, desde quem estava no barco junto à vítima até a autoria dos disparos. Não descartamos nenhuma possibilidade”, salientou Faturi. O velório de Murillo ocorreu na tarde de quinta, na localidade de Ramiz Galvão.

LEIA TAMBÉM: Homem é morto com golpes de facão em Venâncio Aires


MAIS LIDAS