Alto escalão 29/10/2018 08h46 Atualizado às 19h50

Confira os nomes cotados para ministérios de Bolsonaro

O deputado federal Onyx Lorenzoni, deve ficar a cargo da Casa Civil

Presidente eleito na noite desse domingo, Jair Bolsonaro (PSL) havia prometido durante a campanha que divulgaria os nomes de seus futuros ministros antes da votação. Apesar de ter mudado de ideia, muitos nomes já são cotados para ocupar os ministérios durante o governo que inicia em janeiro de 2019.

Até o momento, quatro nomes do alto escalão foram confirmados. Paulo Guedes ficará à frente da pasta da Economia, que vai agrupar Fazenda, Planejamento e o Programa de Parceria de Investimentos. O economista aposta na privatização de todas as estatais para abater a dívida pública. 

Foto: ReproduçãoPaulo Guedes deve ficar à frente do ministério da Economia

 

Também confirmados estão Onyx Lorenzoni, que fica a cargo da Casa Civil. O médico veterinário foi eleito com mais de 183 mil votos como deputado federal. Para Ciência e Tecnologia, o primeiro astronauta brasileiro, Marcos Pontes, será mais um militar no governo de Bolsonaro. O ex-piloto de caça tem mestrado na área de engenharia de sistemas.

Foto: ReproduçãoO militar e astronauta Marcos Pontes deve assumir Ciência e Tecnologia

 

Já no Ministério da Defesa, foi confirmado o General Augusto Heleno Ribeiro Pereira, que era a principal escolha de Bolsonaro para a vice-presidência. Augusto Heleno tem a mais alta graduação do Exército e está na reserva desde 2011. 

Foto: ReproduçãoGeneral foi cotado para ser vice de Bolsonaro

 

Outros ministérios

Entre os nomes cotados, estão o do advogado Gustavo Bebianno para a Justiça; do General Oswaldo de Jesus Ferreira para os Transportes; General Aléssio Ribeiro Souto para a Educação, e Henrique Prata para a Saúde. No Ministério da Agricultura as especulações envolvem os nomes da deputada federal Tereza Cristina, de Nabhan Garcia e do senador Luiz Carlos Heinze. 

Ainda não há confirmações a respeito das pastas das Relações Exteriores, Trabalho, Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Minas e Energia, Meio Ambiente, Integração Nacional/Desenvolvimento Social.