Exclusivo 13/06/2019 00h48 Atualizado às 07h34

Bolsonaro tem aprovação de 38,9% em Santa Cruz

Levantamento mostra que a maioria da população considera o governo bom, mas índice é inferior ao de gestões anteriores

Após conquistar no ano passado a maior vantagem já obtida em um segundo turno presidencial em Santa Cruz do Sul, Jair Bolsonaro (PSL) registra, passados pouco mais de cinco meses desde que tomou posse, uma aprovação de 38,9% no município. É o que indica uma pesquisa realizada pelo Instituto Methodus.

A pedido da Gazeta do Sul, o Methodus ouviu 400 pessoas de ambos os sexos e de diferentes bairros, faixas etárias e níveis de escolaridade e renda. As entrevistas ocorreram entre os dias 30 de abril e 4 de junho – antes, portanto, da crise aberta com a divulgação de conversas suspeitas entre o ministro da Justiça Sérgio Moro e integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato, que vieram a público na noite do último domingo.

Segundo a pesquisa, o índice de aprovação (que corresponde aos entrevistados que classificaram a administração de Bolsonaro com bom ou ótimo) é superior ao volume que considera o governo regular (em torno de um terço dos entrevistados) e ao percentual que desaprova a gestão (cerca de um quarto dos entrevistados, que consideram o governo ruim ou péssimo). No dia 28 de outubro, quando enfrentou Fernando Haddad (PT) nas urnas, Bolsonaro recebeu 66,78% dos votos válidos em Santa Cruz.

Conforme o diretor do Instituto Methodus, José Carlos Sauer, os percentuais colhidos em Santa Cruz são semelhantes aos de outros municípios já pesquisados no Rio Grande do Sul e, inclusive, em outros estados. Na sua avaliação, os números sugerem que a aprovação do governo está concentrada nas pessoas que votaram em Jair Bolsonaro. “O presidente segue sendo sustentado por quem o elegeu. Aqueles que não votaram nele desaprovam o governo. E há um volume significativo de pessoas que votaram nele ou não e que está recuado”, analisa.

Sauer observa que o índice de aprovação de Bolsonaro é inferior à média de governos anteriores nesse mesmo período. Um aspecto que chama a atenção é o percentual de eleitores que consideram o governo ótimo – menos de 6%. “É um índice muito baixo para quem está governando há seis meses. O que parece é que está todo mundo aguardando”, ressalta. “Mas o eleitorado depositou uma grande expectativa em Bolsonaro e, se essa expectativa não for correspondida, o apoio a ele tende a cair.”

Desempenho do governador vem sendo apagado pelos temas da agenda nacional
Foto: Divulgação

 

Metade da população crê em melhora da economia

A pesquisa também indicou que os santa-cruzenses confiam na melhora da economia brasileira dentro de um curto prazo. Pouco mais da metade dos entrevistados disse acreditar que a situação econômica será melhor no segundo semestre deste ano em relação ao primeiro, enquanto cerca de um terço opinou que a situação não vai se alterar e uma minoria (em torno de 8%) acredita que o quadro será pior.

De acordo com José Carlos Sauer, o resultado indica que a expectativa está diretamente vinculada à avaliação do governo Bolsonaro. Isso significa que as pessoas que aprovam a gestão acreditam em uma reação da economia a partir de agora. “Mas não é uma expectativa muito grande. Seria diferente se 80% da população respondesse que acredita em melhora”, observa.

Embora seja verificada em todos os perfis de entrevistados, essa expectativa positiva é ligeiramente maior entre pessoas com mais de 35 anos de idade, com ensino superior e faixa de renda mais alta.