Saída do partido 18/06/2019 17h10 Atualizado às 18h48

"Não tenho mais condições de convivência com os que comandam o PP", diz Telmo

Anúncio de saída da sigla foi feito nesta terça-feira e ocorre após um ciclo de atritos do prefeito com a legenda

O prefeito Telmo Kirst confirmou nesta terça-feira, 18, que irá se desfiliar do PP, partido ao qual é vinculado há décadas. O anúncio ocorre após um ciclo marcado por intensos atritos entre Telmo e alas tradicionais da legenda.

LEIA MAIS: Telmo Kirst pede para sair do diretório do PP

A confirmação foi dada por meio de nota divulgada no fim da tarde pelo Palacinho. A saída já era esperada na comunidade política local, sobretudo após Telmo solicitar, há duas semanas, que seu nome fosse retirado do diretório municipal da sigla. A nova composição do diretório foi eleita no dia 18 de maio e Telmo não compareceu à convenção, mas foi incluído na chapa única porque, tradicionalmente, quem possui mandato é considerado membro nato. No documento, porém, ele alegou que não foi consultado e que havia informado previamente que não pretendia fazer parte do diretório.

A situação se agravou após a Justiça aceitar parcialmente a ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público contra Telmo por conta da suposta expulsão da vice-prefeita Helena Hermany de seu gabinete no dia 20 de março. O episódio abalou a política local e selou o rompimento de Telmo com a sigla.

Em nota, o presidente do PP em Santa Cruz, Henrique Hermany, disse que foi uma decisão pessoal de Telmo, a qual foi recebida sem suspresa. "Trata-se de uma decisão pessoal de um filiado, que recebemos sem surpresa,  até mesmo porque não é a primeira vez que ele sai do partido. O Progressistas de Santa Cruz do Sul segue firme, unido e terá candidato forte para vencer mais uma vez as eleições municipais."


Leia a íntegra da nota de Telmo Kirst:

Não tenho mais condições de convivência com os que comandam o PP, tendo em vista os últimos acontecimentos. Além de não ser consultado para nada, o PP ignora a minha liderança e inclusive tentou me afastar do Governo em um espetáculo teatral deplorável. Saio sem dever nada ao PP, nem para Estadual e nem municipal. Pretendo até o final de julho, tomar um novo rumo político. No momento certo, detalharei os motivos que me levaram a esta decisão e alguns não vão gostar. 

Telmo Kirst