Vera Cruz 19/11/2020 09h27 Atualizado às 17h26

FURA-FILA: sessão que pode culminar com cassação de políticos ocorre nesta quinta

Três vereadores e o vice-prefeito, são investigados na operação em um esquema para favorecimento de apadrinhados políticos em atendimentos nas áreas da saúde e agricultura

O futuro político de Eduardo Wanilson Martins Viana, Marcelo Rodrigues de Carvalho e Mártin Fernando Nyland, junto do vice-prefeito Alcindo Iser, todos do PTB, é definido na tarde desta quinta-feira, 19. Nesta tarde, ocorre na Câmara de Vereadores de Vera Cruz a audiência que pode culminar com a cassação após investigação do Ministério Público na Operação Fura-Fila. Caso isso ocorra, eles ficam inelegíveis por dois mandatos.

Segundo o relator da Comissão Parlamentar Processante, Flavio Daniel Schunke (PDT) o relatório entregue em setembro será lido nesta tarde. Também haverá o momento em que a defesa poderá se manifestar. Em seguida, os vereadores votam. “O Ministério Público tem várias provas robustas, mas depende da interpretação de cada um”, fala. Para perderem os direitos, os políticos devem receber, no mínimo, oito votos do legislativo. A sessão é aberta à comunidade.

LEIA MAIS: MP denuncia oito suspeitos de corrupção no esquema Fura-Fila

Entenda
Em 5 de dezembro de 2017, o Ministério Público cumpriu 27 mandados de busca e apreensão em Vera Cruz, a partir de denúncias de benefício para apadrinhados políticos de agentes públicos da Câmara de Vereadores e das secretarias municipais de Saúde e Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente.

A suspeita recaía sobre a realização de um esquema para favorecimento de apadrinhados políticos em atendimentos nas áreas da saúde e agricultura. Este favorecimento fazia com que, segundo a denúncia, os apadrinhados políticos dos envolvidos tivessem prioridade – portanto, poderiam “furar a fila” de espera.

Por conta da quantidade de informações obtidas pelo MP e a Polícia Civil durante a operação, a investigação consumiu mais de dois anos. Foram ouvidas mais de 300 pessoas, suspeitas de terem recebido favorecimento político que, segundo o MP, ocorria nas duas secretarias municipais de Vera Cruz.

LEIA MAIS: Justiça acolhe denúncia e torna suspeitos em réus no Fura-Fila