Saneamento 23/03/2021 17h51 Atualizado às 19h50

Câmara de Santa Cruz debate a privatização da Corsan

Vereador Bruno Faller, por exemplo, disse que o governo deveria convocar um plebiscito para ouvir a população sobre o tema

O anúncio feito pelo governo do Estado na semana passada de que pretende transferir o controle da Corsan à iniciativa privada motivou debates na Câmara de Santa Cruz nessa segunda-feira, 22. Bruno Faller (PDT) criticou o governador Eduardo Leite (PSDB) por ter descartado a privatização da estatal na campanha eleitoral de 2018 e agora seguir outro caminho. Disse ainda que o governo deveria convocar um plebiscito para ouvir a população sobre o tema e que a desestatização pode trazer prejuízos. “Vocês acreditam que, uma vez privatizada, vai ser mantido o desconto de 16% que temos hoje na tarifa?”, questionou.

LEIA MAIS: Eduardo Leite anuncia intenção de privatizar a Corsan

Líder de governo, Henrique Hermany (PP) sugeriu que a Prefeitura avalie a possibilidade de romper o contrato com a Corsan e busque uma alternativa para a gestão dos serviços de abastecimento de água e tratamento de esgoto. “No momento em que a Corsan deixar de ser pública, acho que Santa Cruz tem que escolher seu caminho, ou municipaliza ou privatiza dentro da cidade. É um debate que temos que fazer”, salientou.

Já Alberto Heck (PT) afirmou que vai propor a criação da Frente Parlamentar em Defesa da Água Pública.

LEIA MAIS: Corsan investiu mais de R$ 14 milhões nos últimos dois anos