Estado 29/03/2021 21h10

Raquel Teixeira assume a Secretaria da Educação do Rio Grande do Sul

Secretária tem como principal objetivo no novo cargo preparar o retorno seguro às aulas presenciais

A professora Raquel Figueiredo Alessandri Teixeira, natural de Goiânia, assume oficialmente como a nova secretária da Educação do Rio Grande do Sul. Antes de aceitar o convite para assumir a pasta, Raquel atuava como Coordenadora da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação de São Paulo no Governo do Estado de São Paulo.

“Sabemos da grande capacidade dos professores e estudantes da rede pública do Rio Grande do Sul. Aceitamos este desafio com entusiasmo para que possamos contribuir na retomada do protagonismo da educação gaúcha em nível nacional”, aponta.

LEIA MAIS: Leite anuncia nova secretária de Educação e três outras trocas no governo


Com uma extensa carreira de serviços prestados na área da educação, é PhD em Linguística pela University of California em Berkeley, graduada em Letras e mestre em Letras e Linguística pela Universidade de Brasília (UnB). Também tem especialização em Etnolinguística pela Universidade Federal de Goiás e pós-doutorado em Língua e Cultura pela Escola de Altos Estudos de Paris.

Para a nova secretária, a preparação para o retorno seguro às aulas presenciais, quando autorizado pelas autoridades da Saúde, é um tema prioritário. A aplicação dos protocolos sanitários, disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) nas instituições de ensino e acolhimento socioemocional, estão entre as principais ações a serem executadas.


LEIA TAMBÉM: VÍDEO: professores protestam contra o retorno das aulas presenciais em Santa Cruz

“Sabemos que as aulas presenciais retornarão apenas com a devida autorização por parte das autoridades sanitárias. Por isso, devemos executar a preparação adequada dentro de todas as normas estabelecidas para a segurança de professores, estudantes e servidores”, indica.

Ainda, serão reforçados os mecanismos de Busca Ativa dos estudantes que perderam seus vínculos com a escola, de modo a restabelecer o contato pedagógico junto às instituições de ensino. Uma avaliação diagnóstica para analisar o impacto da pandemia na aprendizagem dos alunos, realizada ao lado dos coordenadores regionais de educação e equipes diretivas das instituições de ensino, permitirá discutir as melhores iniciativas para mitigar os efeitos negativos de um longo período sem as aulas presenciais.


“Sabemos que, por maior que seja o empenho Governo do Estado na oferta de tecnologia, e por maior que seja o compromisso e capacidade de superação dos professores, as aulas remotas ou híbridas não apresentam os mesmos resultados das aulas presenciais, tanto sob o aspecto cognitivo como emocional e social”, explica.

LEIA TAMBÉM: Secretaria Estadual da Saúde defende antecipação de vacinas para professores

Outro desafio destacado por Raquel Teixeira será organizar o ciclo de aprendizagem de dois anos em um, resgatando as habilidades essenciais que deveriam ter sido aprendidas em 2020 e que serão trabalhadas junto com as de 2021.

Trajetória

Raquel Teixeira também é membro fundadora e integrante do Comitê Técnico do Todos pela Educação, além de integrante da Academia Feminina de Letras de Goiás.

Nos últimos 20 anos, foi secretária de Educação, secretária de Ciência e Tecnologia, secretária de Cultura, secretária de Cidadania e secretária de Esporte em Goiás. Foi também conselheira do Conselho Nacional de Educação e deputada federal por oito anos. Durante a sua gestão como secretária de Educação, no ano de 2017, Goiás foi o único Estado a bater todas as metas do Ideb.

LEIA TAMBÉM: Edson Brum toma posse como secretário estadual