Santa Cruz 29/03/2021 21h28

Câmara aprova antecipação de ISSQN por empresas

Contribuintes poderão pagar até junho as parcelas referentes ao restante do ano

A Câmara de Santa Cruz aprovou na noite desta segunda-feira, 29, uma medida emergencial inédita para mitigar os impactos da redução na atividade econômica sobre a arrecadação da Prefeitura. O projeto autoriza que empresas instaladas no município antecipem o pagamento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) deste ano.

Pela proposta, que agora segue para sanção da prefeita Helena Hermany (PP), as empresas poderão fazer, até o fim de junho, o recolhimento do ISSQN variável, que incide sobre o faturamento, referente ao restante do ano. A antecipação, que será feita a partir de uma média calculada com base no valor pago no primeiro bimestre, não será obrigatória e será aberta a qualquer empresa.

O governo, porém, acredita que a adesão será maior entre organizações de maior porte, já que as pequenas foram mais atingidas pelas restrições de funcionamento impostas nas últimas semanas em função do agravamento da pandemia.


LEIA TAMBÉM: Prefeita Helena sanciona lei de incentivo a empresas

Segundo o secretário municipal da Fazenda, Álvaro Conrad, a demanda surgiu a partir de empresas que manifestaram ao Palacinho intenção de antecipar a quitação do tributo como forma de contribuir com o fluxo de caixa do Município. Como se trata de um instrumento que nunca foi adotado no governo, a decisão foi por regulamentá-lo em lei.

Conforme Conrad, não existe risco de perda de arrecadação já que os contribuintes que optarem pela antecipação seguirão emitindo as guias de recolhimento todos os meses. Assim, se vierem a faturar mais, esse valor será recolhido normalmente.


O ISSQN é a terceira principal fonte de receita da Prefeitura, atrás apenas do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). O orçamento deste ano prevê uma arrecadação de R$ 38 milhões.

Apesar da crise econômica, a Prefeitura acumulou um superavit financeiro de R$ 2,2 milhões nos primeiros dois meses do ano – foram R$ 1,5 milhão em janeiro e R$ 714 mil em fevereiro. Para março, porém, a tendência é de um resultado mais modesto, devido às três semanas em que o município esteve sob bandeira preta.

LEIA TAMBÉM: Projeto de lei que autoriza restituição de ICMS para empresas em Santa Cruz é aprovado