Polêmica dos vales 31/07/2018 21h14 Atualizado às 07h59

Filiados do PT vão denunciar vereadores de Santa Cruz

Grupo acusa bancada de ter contrariado princípios da legenda ao votar a favor da lei que corta benefícios dos servidores

Um grupo de 54 filiados do PT em Santa Cruz do Sul se prepara para encaminhar uma denúncia à direção estadual contra os vereadores da legenda, Ari Thessing e Paulo Lersch, por conta do voto favorável da bancada petista à lei que restringe o pagamento de vale-alimentação e vale-transporte aos servidores da Prefeitura. A votação ocorreu no último dia 18 e a lei, já sancionada pelo prefeito Telmo Kirst (Progressistas), foi aprovada por 9 votos a 7.

Thessing e Lersch vêm apoiando sistematicamente os projetos de Telmo desde janeiro do ano passado, quando firmaram um acordo com o governo sem a anuência do diretório. Na votação da lei dos vales – que proíbe o pagamento dos benefícios nas férias  e sempre que os servidores deixam de comparecer ao trabalho, mesmo com atestado médico –, ambos acompanharam a base governista sem justificar a posição. Desde então, evitam declarações sobre o assunto e estão entre os principais alvos das manifestações do funcionalismo.

LEIA MAIS: Vereadores aprovam corte dos vales dos servidores

A posição dos vereadores já vinha sendo criticada por alas do PT mesmo antes da votação, quando filiados chegaram a protestar com cartazes nas galerias da Câmara e divulgar uma carta a respeito do assunto. No grupo estão quadros históricos da legenda, como os ex-vereadores Alberto Heck, Rejane Henn e João Pedro Schmidt, e os ex-presidentes Renato Araújo e Ângelo Luz.

Em uma nota enviada esta semana ao presidente do diretório municipal, André Beck, o grupo alega “contrariedade” e “indignação” com o voto de Thessing e Lersch e afirma não se sentir representado pelos vereadores, acusando-os de “não estarem comprometidos com as diretrizes partidárias e nem mesmo com os princípios fundantes responsáveis pela criação do PT”. “Valores como ética, solidariedade e construção coletivas não têm feito parte da prática política dos referidos vereadores”, diz o texto, ao qual a Gazeta do Sul teve acesso.

Na nota, os petistas confirmam que vão formalizar uma representação contra os vereadores e que o procedimento já está “em fase de instrução e coleta de provas”. Alegam esperar que “as devidas medidas cabíveis sejam aplicadas aos parlamentares”.

Foto: Lula HelferPaulo Lersch: “Fizemos o nosso papel”
Paulo Lersch: “Fizemos o nosso papel”
Foto: Rodrigo AssmannAri Thessing: por enquanto, em silêncio
Ari Thessing: por enquanto, em silêncio

 

“É um direito deles questionar”

Diante do movimento dos filiados, o vereador Paulo Lersch disse que vai aguardar ser chamado pelo partido para dar explicações, mas está seguro quanto ao seu voto. “Fizemos nosso papel. Como legisladores, temos que tomar uma posição e nós tomamos. Se isso causou divergência, é um direito deles questionar”, afirmou.
Procurado, o vereador Ari Thessing disse que vai se manifestar apenas nos próximos dias sobre o assunto.