Política 13/08/2018 02h56 Atualizado às 09h05

Telmo nomeia jornalista para comandar a Secretaria de Saúde

Régis Júnior deixa a Secretaria de Comunicação para assumir o maior orçamento da Prefeitura

Telmo Kirst (Progressistas) lançou mão de uma solução caseira para substituir a então secretária municipal da Saúde, Renice Vaccari, que deixou o cargo na sexta-feira, 10, alegando motivos pessoais. No fim da tarde de sábado o prefeito anunciou que o jornalista Régis de Oliveira Júnior, de 24 anos, será o novo titular da secretaria que tem o maior orçamento do Executivo. Desde o início do governo Régis respondia pela Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), que passa a ser acumulada pelo chefe de gabinete Delsio Meyer. A posse dos dois está marcada para esta terça-feira, 14. Hoje eles farão a transição de cargos. Nesse domingo à noite a informação era que Telmo pretende fazer mais mudanças no governo ainda nesta semana.

Régis de Oliveira Júnior está na Prefeitura desde 2014, quando ingressou como estagiário da área de comunicação. À época ele cursava Jornalismo na Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Em pouco tempo assumiu um cargo de confiança no gabinete de Telmo e acabou tornando-se uma figura importante nos bastidores da campanha eleitoral de 2016. No início do segundo governo foi então anunciado como secretário de Comunicação e fez história como o mais novo titular de uma secretaria municipal em Santa Cruz.

Segundo Telmo, o jornalista vem demonstrando “extrema habilidade técnica e política no governo” e é uma pessoa de sua “mais absoluta confiança”. “Régis na Secretaria da Saúde será o meu gabinete na Secretaria da Saúde. Estaremos em permanente contato”, disse Telmo no fim da tarde de sábado. Enquanto alguns secretários levam semanas para conseguir uma audiência com Telmo, o jornalista é um dos poucos que têm acesso irrestrito ao gabinete do prefeito e vem participando de todas as decisões importantes do Executivo.

A missão dada a Régis por Telmo é simples, segundo frisou o prefeito. “Temos em Santa Cruz a melhor saúde pública do Rio Grande do Sul e assim vai continuar.” Telmo disse que o desafio do novo secretário é manter o atual padrão de atendimento, melhorando o que for preciso. “Na condição de secretário de Comunicação Régis vinha tendo um olhar privilegiado sobre todo o governo. Então sabe muito sobre a Saúde também”, destacou o prefeito, completando que a equipe técnica da secretaria será reforçada, em especial a fiscalização e controle de gastos. Disse ainda que a ex-secretária, que é auditora concursada, vai continuar “colaborando”.

LEIA MAIS: Mudança em farmácia pública deixa secretária de Saúde por um fio

 

Entenda

No cargo desde agosto de 2016, a médica auditora Renice Vaccari pediu para sair alegando motivos pessoais. Na prática, porém, ela ficou desgastada após duas polêmicas em poucos dias. A secretária montou o projeto de fechamento noturno do Centro Materno-Infantil (Cemai) mas, na véspera da entrada em vigor, a mudança foi cancelada pelo prefeito. Na semana passada veio a segunda contraordem. Telmo cancelou a mudança de endereço da Farmácia do Estado, que seria levada do Centro para a Zona Sul por Renice. Além disso, vereadores da base vinham reclamando da secretária, que seria de difícil acesso. O entendimento é que Renice tem muito conhecimento técnico, mas faltou habilidade política.

Decisão do prefeito repercute entre aliados e oposição

A possibilidade de Régis de Oliveira Júnior assumir a Secretaria da Saúde foi levantada pelo prefeito ainda na sexta-feira, horas depois de Renice deixar o cargo. Ele sondou uma pessoa próxima sobre a possibilidade, justificando que Régis é de sua confiança e vem se destacando no governo, tanto em questões técnicas quanto na interlocução política. A pessoa com quem Telmo conversava sugeriu outro nome, mas ele refutou na hora temendo uso político da pasta.

Da tarde de sexta ao fim da tarde de sábado pelo menos seis políticos se ofereceram a Telmo para assumir a secretaria, incluindo gente que já está no primeiro escalão. Eles sabem que, em dando tudo certo na gestão da Saúde, estariam automaticamente credenciados à lista dos possíveis sucessores de Telmo. Ao elevar Régis Júnior a um posto-chave do governo, estaria Telmo o lançando politicamente já pensando em 2020? “É claro que não”, respondeu o prefeito à Gazeta do Sul no início da noite de sábado. “Não estou pensando em política. Estou pensando no governo e na Secretaria da Saúde”, garantiu.

Nos bastidores, porém, a leitura é outra. Vereadores da base governista e da oposição enxergam na escolha de Telmo uma aposta e um recado. “Régis já é uma pessoa forte no governo e agora ganha mais espaço, quase carta branca. Sinal de que Telmo ainda não vê, no meio político, seu possível sucessor. Senão seria normal testar essa pessoa no comando da Saúde”, disse um vereador aliado. Surpreso com a decisão, um vereador da oposição que conhece o setor da saúde disse que Régis precisará de muito apoio do prefeito. “Não é uma missão fácil. Mas precisamos dar um voto de confiança em nome dos usuários do sistema”, resumiu.

Números

>> R$ 460 milhões é o orçamento da Prefeitura para este ano

>> R$ 156,1 milhões é o orçamento da Saúde para este ano

>> 730 pessoas trabalham na secretaria, incluindo concursados e estagiários