Recursos 10/10/2018 22h56 Atualizado às 08h23

Doação pelo Imposto de Renda pode beneficiar oncologia do Ana Nery

Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) permite doar recursos a projetos da área

Os santa-cruzenses podem ajudar na luta contra o câncer. Por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), também conhecido como a Lei do Câncer, do Ministério da Saúde, é possível doar recursos a projetos da área por meio da dedução de 1% do Imposto de Renda. Em Santa Cruz, o Hospital Ana Nery aguarda aprovação de projeto, em novembro, com o propósito de qualificar os serviços oncológicos. Caso o parecer seja positivo, a instituição precisará de parceiros para tornar a proposta uma realidade.

É por isso que o especialista em captação de incentivos fiscais Flávio Nogueira esteve no município, nesta semana, para visitar cerca de 25 empresas da região. Com mais de 18 anos de experiência na área, ele veio de São Paulo para buscar uma rede de apoiadores ao Ana Nery. “Caso o projeto seja aprovado, o que pode acontecer na segunda quinzena de novembro, já precisamos ter as parcerias firmadas para o seu financiamento”, explica.

Segundo Nogueira, além do Pronon, entidades santa-cruzenses podem desenvolver ações dentro do Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas), a Lei da Mobilidade. “O envolvimento ainda está muito aquém do esperado. No Brasil, podemos dizer que menos de 5% das empresas participam do programa.” Por isso, ele acredita que é fundamental criar uma rede de doadores. “Não dá para esperar que batam à porta.”

A parceria com o Ana Nery ocorre desde 2013, quando foram captados cerca de R$ 50 mil, com aplicação da empresa gaúcha Piccadilly. O período para envio de projetos começa, geralmente, no fim de novembro e se encerra em janeiro. A partir daí, a análise leva entre oito e nove meses. Neste ano, estão previstos 100 milhões em projetos na área, no Brasil.

Para participar

Pessoa jurídica: aquela que declara sobre o lucro real pode destinar 1% à Lei do Câncer e 1% para a Lei da Mobilidade
Pessoa física: todo cidadão brasileiro que declare pelo modelo completo também pode destinar 1% para cada um dos programas