Medicamentos 05/12/2018 22h53 Atualizado às 07h09

Compra coletiva de remédios gera economia de 20% às prefeituras

Forma de negociação em grupo poderá ser estendida a outros contratos de serviços gerenciados pelo Cisvale

Desde fevereiro deste ano, os 14 municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) passaram a adquirir parte dos medicamentos destinados à população de forma coletiva. São remédios contra ansiedade, hipertensão e até dor de estômago que são negociados em maior quantidade, o que proporciona economia ao caixa das prefeituras. O primeiro ano encerra com balanço positivo, com uma redução média de 20% no custo dos medicamentos.

De acordo com a diretora executiva do Cisvale, Léa Vargas, as compras coletivas contemplam uma lista de 207 medicamentos utilizados pelas farmácias básicas nos municípios. “Esta licitação é feita na modalidade de registro de preços, por meio de pregão eletrônico. Uma comissão de três farmacêuticos dos municípios acompanha a compra, realizada por um pregoeiro. A intenção é otimizar custos”, destaca. Segundo Léa, de fevereiro até o início de dezembro deste ano foram adquiridos mais de oito milhões de itens, que representam um investimento superior a R$ 1 milhão. “A economia gira na casa dos 20%. É uma forma de poupar recursos públicos.”

Para o presidente do Cisvale, o prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert (PSB), os bons resultados do primeiro ano de compras coletivas refletirão em ações que os municípios poderão tomar daqui para frente. De acordo com ele, a busca pela redução de custos nas prefeituras é constante e a estratégia de fazer em conjunto tem se mostrado uma aliada nesta tarefa. “Podemos partir para outros tipos de negociação, como aquisição de insumos e equipamentos e até de serviços, na intenção de reduzir os custos para conquistar o equilíbrio financeiro em nossas administrações municipais”, antecipa Wickert.

Ele projeta que o segundo edital, lançado agora para as compras a partir de fevereiro do próximo ano, terá ainda mais adesão das prefeituras. “A compra coletiva está consolidada, pois acredito que em 2019 haverá muito mais procura por parte dos municípios associados, assim como até a possibilidade de um aumento no volume de compras por meio desta ferramenta.”

Atividades no prédio novo já tiveram início

Desde a última segunda-feira, toda a área administrativa e de consultórios médicos do consórcio já está instalada no novo endereço, na Rua Ernesto Alves, no Centro de Santa Cruz. De acordo com a diretora executiva, Léa Vargas, a mudança foi realizada durante o mês de novembro.

O segundo passo foi equipar os consultórios e trazer documentos para a área administrativa. “Já estamos realizando todo o serviço na nova sede. Nos primeiros dois dias, foram feitos 150 atendimentos aos pacientes da região”, conta. Conforme ela, a partir de janeiro do ano que vem serão ampliados os atendimentos no local, com a implantação de outros tipos de serviço, como a fisioterapia. Com a entrada destes procedimentos, o Centro deverá receber por dia 250 pacientes.  

O Centro de Especialidades Médicas do Cisvale foi inaugurado em 6 de julho deste ano. O prédio tem três salas de espera e dez consultórios médicos, além de espaço para realização de procedimentos cirúrgicos e consultório odontológico. A estrutura está instalada em uma área superior a 870 metros quadrados. O investimento no prédio foi de R$ 1,9 milhão, boa parte – R$ 1,7 milhão – proveniente de uma emenda do deputado federal Heitor Schuh (PSB).

Vera Cruz liderou uso do sistema em 2018

Vera Cruz, Venâncio Aires e Santa Cruz do Sul são os maiores “clientes” da compra consorciada de medicamentos do Cisvale. O que mais comprou até agora, com mais de um milhão de itens, é Vera Cruz. Segundo o farmacêutico Diego da Silveira Moura, coordenador da atenção básica no município, a compra coletiva de remédios representa, para Vera Cruz, uma economia de cerca de 30%. Além disso, o gestor garante que houve melhora no atendimento prestado pelos fornecedores de medicamentos. “Por conta do volume de itens que são negociados, temos condições de comprar de grandes distribuidoras, que nos atendem muito melhor.”

Moura acrescenta que a compra coletiva deu mais segurança ao abastecimento de medicamentos em Vera Cruz. Segundo ele, como o Cisvale negocia com laboratórios e distribuidoras maiores, o risco de desabastecimento reduz. “Quando faltam outras substâncias em nossos laboratórios, a gente recorre ao consórcio. Isso evita falha no fornecimento de medicamentos na farmácia municipal.”

Foto: Rodrigo AssmannLéa: otimizar custo dos medicamentos
Léa: otimizar custo dos medicamentos

Mais comprados

Fórmula/indicação        Quantidade em comprimidos
Omeprazol (estômago)        1.165.000
Fluoxetina (ansiedade, depressão)    1.127.670
Enalapril (hipertensão)        399.000
Hidroclorotiazida (hipertensão)    350.000
Ibuprofeno (dores crônicas)        300.000
Fonte: Cisvale (compras de fevereiro a dezembro de 2018)


MAIS LIDAS