Estradas 11/01/2019 00h16 Atualizado às 06h43

Conserto e roçadas serão as primeiras ações na BR-386

Contrato das rodovias federais será assinado nesta sexta no Palácio Piratini. Novo pedágio até Porto Alegre deve começar em até um ano

A partir das 11 horas desta sexta-feira, a administração da BR–386 passará para o controle do Grupo CCR, vencedor da licitação das rodovias federais no Rio Grande do Sul. Na prática, a assinatura do termo em ato solene no Palácio Piratini, em Porto Alegre, dará início ao trabalho de recuperação da pista, manutenção e segurança pela iniciativa privada durante as próximas três décadas.

LEIA MAIS: Concessão da 386 traz mais um pedágio até Porto Alegre

Conforme a presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari, Cíntia Agostini, o Programa de Exploração Permanente (PER) das rodovias prevê que nos primeiros seis meses de atuação o trabalho seja focado em obras emergenciais. “Serão roçadas e limpezas de acessos e acostamentos, assim como o conserto de buracos e falhas no asfalto”, explica. A maior parte do trecho da 386 passa pelos municípios do Vale do Taquari. Por conta disso, líderes daquela região acompanharam de perto todo o processo, iniciado em 2016.

Já quanto à cobrança do pedágio, Cíntia projeta que pode começar ainda no próximo verão. Por contrato, a CCR tem até um ano para construir as novas praças. Como na BR–386 a previsão de investimentos em infraestrutura alcança a marca de R$ 5,6 bilhões nas próximas três décadas, acredita-se que a agilidade na exigência da tarifa seja uma realidade. “Na Freeway, por exemplo, onde a estrutura física das praças já existe, a cobrança começa em um mês. Onde os espaços precisam ser construídos, a instituição do pedágio ocorrerá um ano.”

Além da BR–386, o pacote chamado de Rodovia Integração do Sul (RIS) engloba as BRs 101 (de Osório a Torres), 290 (trecho da Freeway, de Osório a Porto Alegre) e 448 (Rodovia do Parque, de Porto Alegre a Sapucaia do Sul). Todo o investimento nestas estradas, orçado em mais de R$ 13,7 bilhões, virá da arrecadação das sete praças de pedágio. Cinco delas serão construídas: quatro ao longo da BR–386 (em Victor Graeff, Fontoura Xavier, Paverama e Montenegro) e uma na BR–101 (em Três Cachoeiras). As outras duas já existentes ficam na Freeway: em Gravataí e Santo Antônio da Patrulha. Já a BR–448 (Rodovia do Parque) não terá nenhuma praça.

Acima de R$ 4,30

No caminho de quem sai de Santa Cruz do Sul rumo à Capital, a cobrança de pedágio da BR–386 ficará em Montenegro. A localização será o quilômetro 424,3, cerca de um quilômetro depois do posto da Polícia Rodoviária Federal, em direção a Porto Alegre.

A presidente do Codevat, Cíntia Agostini, conta que o valor deste pedágio, fixado em R$ 4,30 por meio do edital, também deverá ser corrigido já no próximo ano. “O valor de referência será alterado anualmente pelo índice da inflação. Nosso pedágio deverá começar com o preço corrigido”.