Economia 11/02/2019 11h04

Pequenos empresários apostam tudo em 2019

Confiança no mercado e condições favoráveis de crédito são apontadas como impulso para micro e pequenos negócios

A especialista em unhas Tamara Carvalho não estava satisfeita em cuidar apenas da saúde dos pés e mãos de seus clientes. No ano passado ela decidiu arriscar e, por meio de um financiamento, passou também a atuar na recuperação dos cabelos. Agora se prepara para contratar mais mão de obra e continuar crescendo em 2019.

Tamara é microempreendedora. Contou com o Banco do Povo para aumentar sua atividade na área da beleza. Sinais de estabilidade econômica e a confiança no consumo animaram ela a continuar empreendendo, tanto que a equipe de quatro funcionárias deverá receber um incremento de mais gente, em breve. “A crise não chegou até mim. Sempre tive um sonho de cuidar da saúde das pessoas, estamos nesse caminho”, confirma. Com condições favoráveis do mercado financeiro, ela faz parte de uma legião que passou a apostar na economia. Pesquisas do Sebrae e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) reforçam o entusiasmo de Tamara, confirmando que o ano será dos pequenos.

A empresária foi uma entre os 204 microempreendedores que tomaram crédito junto ao Banco do Povo de Santa Cruz. Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Santa Cruz, César Cechinato, o momento indica um novo tempo no mundo dos negócios. 

O Banco do Povo está sob a tutela da pasta dele, que também aposta no empreendedorismo, seja por vontade própria ou pela necessidade de quem ficou à margem do mercado de trabalho. “O nível de emprego não irá acompanhar o crescimento econômico. Por conta disso, muitos que têm vontade irão empreender, e isso é muito bom”, avalia.

Segundo Cechinato, fatores como a oferta de microcrédito, principal negócio do Banco do Povo, acabam sendo decisivos para o nascimento de pequenas empresas e a expansão daquelas que já estão no mercado. “O pequeno empreendedor zela muito pelo nome, pelo crédito, tornando-se um excelente pagador. Também por isso tem encontrado crédito para investir.” 

CINCO RAZÕES PARA ACREDITAR

  1. A reforma tributária, prometida pelo governo com a redução e a simplificação de impostos, é uma das medidas mais esperadas pelos pequenos empreendedores. Atualmente, os empresários perdem tempo demais com o cálculo de tributos e a falta de clareza nas regras para fazer suas declarações.
  2. A facilitação do crédito é importante para a sobrevivência e a expansão das pequenas empresas. Hoje, 36% dos pequenos empresários considera o acesso às linhas difícil, segundo estudo do SPC Brasil com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), lançado em dezembro. O novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, confirmou que o banco vai privilegiar as empresas médias na concessão de crédito, o que pode facilitar o acesso a financiamento com juros mais baixos.
  3. A abertura da economia proposta pelo governo pode ajudar a pequena indústria. Esse modelo favorece o empreendedor, ampliando a sua competitividade no mercado.
  4. Os acontecimentos externos que podem afetar indiretamente a vida dos pequenos negócios no País são o Brexit, com a saída do Reino Unido da União Europeia, e a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos. A moeda norte-americana deve se manter em cerca de R$ 3,50, com pequenas variações, o que é bom para a saúde financeira dos pequenos empreendedores. 
  5. Este ano deverá ser bom para empresas ligadas aos setores de tecnologia e serviços, como as startups. Elas vão continuar em alta, assim como as que levam tecnologia ao agronegócio e à construção civil. Também terão destaque companhias que entregam serviços e produtos diretamente ao consumidor, sem intermediários, como imobiliárias e agências de viagem.


Banco do Povo deve ampliar sua atuação

Ao fechar o ano passado com a soma de R$ 1,9 milhão em pequenos financiamentos, o Banco do Povo caminha para se tornar, de fato, uma entidade regional. O órgão deve assinar uma parceria com a Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp), de forma a estender o serviço de microcrédito para toda a região. 

Conforme o agente de desenvolvimento do banco, Paulo Mans, os municípios de Venâncio Aires, Rio Pardo e Pantano Grande já assinaram convênio com o Banco do Povo. “Agora, para tornar o processo mais fácil às demais prefeituras, estamos alinhando a parceria com a Amvarp para levar essa modalidade de crédito a todo o Vale do Rio Pardo”, projeta.

Segundo Mans, cada prefeitura parceira fica responsável pelo primeiro atendimento ao empreendedor. “Eles recolhem os documentos necessários à análise e encaminham para nós. O resto é feito no nosso escritório em Santa Cruz.” 

Durante o ano passado, foram 204 microempreendedores beneficiados com empréstimos usados, sobretudo, para investimentos na atividade. Desde 2013, quando começaram as operações da agência de microcrédito, já foram atendidos 4.491 empreendedores. Juntos, eles contrataram R$ 15,4 milhões em pequenos financiamentos por meio do Banco do Povo.