ECONOMIA 16/03/2019 00h42 Atualizado às 16h07

Valor das ações da Excelsior na bolsa dobra em 6 meses

Desempenho da gestão é apontado como um dos fatores decisivos para a valorização da marca no mercado financeiro

Com parte do capital negociado na Bolsa de Valores de São Paulo desde a década de 1970, a Excelsior Alimentos, de Santa Cruz do Sul, conseguiu no último dia 27 um feito histórico: suas ações alcançaram o maior valor já registrado. Isso significa que em apenas seis meses o valor de mercado da centenária indústria dobrou e, pelo volume de ações, atingiu a marca de R$ 130 milhões.

LEIA MAIS: Os números da retomada na construção civil em Santa Cruz

Segundo o diretor executivo de negócios da indústria, Renato Jackisch, a companhia ficou surpresa com o bom desempenho alcançado no período. “O crescimento foi de 100%, quando atingimos o maior valor de mercado da história da empresa.” No penúltimo dia de fevereiro, cada ação da Excelsior fechou o pregão da B3, a antiga Bovespa, valendo R$ 25,15. “Este resultado reflete nosso trabalho de gestão e administração dos últimos oito anos. Foi o período em que melhoramos nossos processos administrativos e financeiros”, justifica Jackisch.

Com o bom desempenho, a indústria alcançou o mesmo patamar das mais bem-sucedidas empresas gaúchas na bolsa, como Banrisul e Panvel. “Em 2008 o Banrisul fez uma grande compra de ações da Excelsior e, no ano passado, colocou estes papéis à venda. A partir daí houve uma valorização ainda maior”, conta o executivo, frisando que a evolução da Excelsior está acima do próprio desempenho da bolsa. O Ibovespa evoluiu 15% no ano passado, fechando o terceiro ano consecutivo de alta.

Foto: Rodrigo AssmannRenato Jackisch: fruto do trabalho de oito anos
Renato Jackisch: fruto do trabalho de oito anos

 

OUTRAS GAÚCHAS

Empresa    1º/10/18    15/03/19
Marcopolo    R$ 3,33    R$ 4,08
Lojas Renner    R$ 31,04    R$ 43,99
Banrisul    R$ 14,92    R$ 26,50
Panvel    R$ 310,00    R$ 373,98
SLC Agrícola    R$ 59,41    R$ 42,97

FONTE: Bovespa


Ascensão começou nos últimos dois anos

Em 2018, a Excelsior ocupava a sexta posição no ranking de geração de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de Santa Cruz do Sul, vinda de um crescimento médio de 40% nos últimos dois anos. “O investidor que atua na Bolsa de Valores está atento a estes números. O desempenho econômico da empresa conta muito”, reforça Jackisch.

No ano de 2017, a Excelsior ficou entre as dez maiores empresas do agronegócio brasileiro, nos segmentos de processamento de aves e suínos. O ranking organizado revista Globo Rural listou as 500 principais empresas brasileiras do agronegócio. Nos dez parâmetros de gestão avaliados, a Excelsior ficou entre as principais posições em sete.

Prestes a dar início a um investimento que irá ampliar em 60% a capacidade de produção da planta santa-cruzense, a Excelsior aguarda as últimas licenças para abrir o canteiro de obras. “Já fizemos os orçamentos e agora estamos esperando pelos órgãos federais. Por nós, a obra já teria começado”, comenta Renato Jackisch.

O projeto, apresentado em dezembro do ano passado, prevê a ampliação de 4,4 mil metros quadrados na área da fábrica, modernizando processos de produção e permitindo a estocagem de produtos prontos em Santa Cruz. O investimento é de R$ 31 milhões e permitirá o aumento de 60% na capacidade de fabricação.

Saiba mais

Quando uma empresa abre o seu capital na Bolsa de Valores, o principal objetivo é aumentar os seus recursos disponíveis. As ações geralmente são lançadas em um valor determinado pela empresa. A valorização acontece a partir das informações sobre a marca, histórico, credibilidade, gestão e reputação. Quanto mais positivos são estes quesitos, maior se torna o valor de mercado destas ações.