Semana que vem 20/03/2019 23h29 Atualizado às 10h19

O que muda com a migração da Rádio Gazeta para o FM?

Mais tradicional rádio do grupo, que hoje opera no AM 1.180, vai transmitir também em FM a partir do fim da semana que vem

Às vésperas de completar 39 anos, a Rádio Gazeta vai migrar do AM para o FM. O novo conjunto de equipamentos está em fase final de montagem e a instalação começa em breve tanto na sede da empresa, no Centro de Santa Cruz do Sul, quanto na torre própria localizada no Bairro Monte Verde. A operação no FM deverá estar a pleno no fim da semana que vem.

A Rádio Gazeta será a segunda emissora da Gazeta Grupo de Comunicações a fazer a migração. A primeira foi a Rádio Rio Pardo, no início do ano passado. O sinal que hoje é transmitido em AM 1.180 passará para a frequência 107,9, a última no dial do FM. Durante algumas semanas o sinal será espelhado, ou seja, poderá ser captado tanto em AM quanto em FM. A ideia é que no meio do ano o AM seja desligado e o canal devolvido ao governo federal.

A migração de rádios AM para FM acontece em todo o Brasil. O processo é liderado pelo governo federal, por meio da Anatel, e vem desde 2009, quando optou-se pelo modelo em meio à discussão sobre o rádio digital no País. A ideia é garantir mais qualidade no sinal que chega ao ouvinte. A faixa FM oferece som de melhor qualidade, tem mais alcance e é menos vulnerável a ruídos e interferências. A Rádio Gazeta vai operar como classe A4 na escala da Anatel, com cinco quilowatts de potência transmitida (ERP).

A NOVIDADE EM SETE RESPOSTAS

  • Por que a Rádio Gazeta vai migrar do AM para o FM?

A migração das rádios AM para FM é discutida no Brasil desde o fim dos anos 2000 e visa garantir a entrega de um sinal com mais qualidade para os ouvintes, explica o gerente da emissora, Leandro Siqueira. O governo federal abriu editais de habilitação e a Rádio Gazeta foi incluída no primeiro grupo de emissoras a migrar no Estado. Faz um ano que a equipe de engenharia da empresa trabalha no projeto, que agora começa a ser colocado em prática.

  • Quando acontece a mudança?

Os equipamentos estão em fase final de montagem, e a instalação está prevista para começar neste fim de semana. No meio da semana que vem, o sinal que hoje é transmitido em AM 1.180 já poderá ser captado também em 107,9 FM. Por um ou dois dias poderá haver alguma oscilação devido a ajustes nos equipamentos. As novas antenas ficarão a cerca de 90 metros de altura, na torre da Gazeta localizada no Bairro Monte Verde.

  • O sinal continuará disponível também em AM?

Sim. Durante algumas semanas, a programação da Rádio Gazeta será espelhada, ou seja, estará tanto no AM 1.180 quanto no 107,9 FM. A previsão é de que no meio do ano o transmissor AM seja desligado e o canal devolvido ao governo federal, conforme prevê a legislação que regulamenta a migração das rádios no País.

  • Além da frequência da rádio, o que mais muda?

Por enquanto, nada. O gerente Leandro Siqueira destaca que a essência da Rádio Gazeta continua a mesma, só que no FM. “O ouvinte sentirá imediatamente um ganho de qualidade de som e sinal, que além de melhor irá muito mais longe. Nosso alcance ficará muito maior, o que é ótimo para ouvintes e anunciantes. Fora isso, manteremos nosso DNA, que é informação local de qualidade, esporte e entretenimento”, resume, frisando que a programação, a equipe e os meios de contato com a rádio seguem os mesmos. “Com o passar do tempo, faremos atualizações pontuais na plástica e na programação da rádio. Mas isso de forma muito gradativa. Agora é fundamental mantermos nossa essência, mas com um ganho enorme de qualidade técnica”, salienta.

  • Qual passa a ser a área atendida com sinal da rádio no FM?

Haverá um ganho significativo de alcance. A programação da Rádio Gazeta no FM poderá ser captada em um raio de aproximadamente 100 quilômetros em linha reta a partir da torre, no Bairro Monte Verde. Quem viajar de carro de Santa Cruz a Porto Alegre poderá sintonizar a 107,9 FM até Nova Santa Rita, aproximadamente. Isso pode variar conforme o tipo de aparelho, a antena e outros. “Seremos a única rádio de toda esta grande região focada praticamente em jornalismo e esporte, um grande diferencial no mercado”, enfatiza Leandro Siqueira.

  • Preciso mudar meu aparelho de rádio?

Não. O sinal da Rádio Gazeta será captado no 107,9 de qualquer rádio FM, seja do carro, de casa, movido a pilha, tanto faz. Só precisa ter FM. A mudança inclusive possibilita que a programação seja ouvida nos aparelhos de celular que têm aplicativos de rádio FM. Nesse caso, o fone de ouvido funciona como antena. Além disso, o sinal continua sendo disponibilizado em tempo real no site (www.gaz.com.br) e nos aplicativos.

  • E as outras rádios da Gazeta, como ficam?

A Gazeta é responsável por três emissoras de rádio em Santa Cruz, que continuarão funcionando de forma independente uma da outra: a atual AM 1.180 (que passa para 107,9 FM) é focada em jornalismo e esporte, mas também com entretenimento; a 101,7 FM é a rádio “hits”, líder no segmento e referência na programação musical que está na preferência do público; e a 99,7 FM (de caráter educativo) oferece uma programação mais “cult”, voltada ao público identificado como adulto contemporâneo. Essas três emissoras estarão no FM, cada uma com seu perfil. Ou seja: a Gazeta oferecerá três opções de qualidade para os diferentes públicos da região.