Investimento 08/04/2019 22h44 Atualizado às 10h35

Como o hospital veterinário vai beneficiar a população

Aporte de R$ 1 milhão projetado pela Prefeitura de Santa Cruz no prédio será revertido em serviços para a comunidade

Com previsão de abrir as portas em março do próximo ano, o hospital veterinário deve representar uma gama de serviços voltados à comunidade. Em contrapartida ao investimento de R$ 1 milhão pela Prefeitura, no prédio localizado às margens da RSC-287, em Pinheiral, serão oferecidos serviços como cirurgias, resgate, tratamento e microchipagem, dentre outros. O trabalho será possível por meio do curso de Medicina Veterinária da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc).

Em entrevista nessa segunda-feira, 8, à Rádio Gazeta, o secretário municipal de Saúde, Régis de Oliveira Júnior, afirmou que a partir do segundo semestre deste ano será realizado um cronograma mensal de desembolso. Hoje o Executivo destina de R$ 30 mil a R$ 40 mil por mês para serviços realizados em clínicas particulares com animais resgatados e do Canil Municipal. “Nós estamos antecipando os recursos para que a Unisc possa criar o hospital, mas eles serão devolvidos em serviços futuramente.”

Por meio de convênio, que prevê termo de cooperação, famílias de baixa renda, protetores independentes, animais do canil e organizações não governamentais (ONGs) voltadas à causa animal poderão contar com serviços gratuitos. Para o acesso ao hospital, que deve atender 24 horas, o Município também deve estudar a viabilidade de novas linhas de transporte público.

O prazo para início das obras, no entanto, ainda não está definido. “A partir de agora, com as definições manifestadas, trabalharemos no projeto de reforma e no cronograma de execução”, afirma a reitora da Unisc, Carmen Lúcia de Lima Helfer.

LEIA MAIS: Causa animal divide opiniões na Câmara de Vereadores

Além dos animais

Os benefícios da implantação do hospital veterinário em Santa Cruz devem ir além dos cuidados com animais de grande e pequeno porte. Conforme o secretário Régis de Oliveira Júnior, o empreendimento será um grande aliado da saúde pública, evitando, por exemplo, a proliferação de pragas e doenças, como a leishmaniose, que foi motivo de força-tarefa da Prefeitura no início do ano. “Bem-estar animal não é só bem-estar animal. É também saúde pública”, afirma.

É com o foco no controle de zoonoses, aliás, que se procurou destinar uma área mais afastada da zona urbana para a implantação do hospital veterinário. A constituição de um Centro de Bem-Estar Animal também está nos planos da Prefeitura. O projeto, contudo, aguarda análise na Câmara de Vereadores, junto a outros investimentos, como novos postos de saúde, creche e compra de equipamentos hospitalares.