Magazine 12/05/2019 11h20

A vida da modelo santa-cruzense que participou de clipe da Anitta

História de Gabriela começou em Santa Cruz; ela nasceu no Hospital Santa Cruz, no dia 13 de novembro de 1990

No início de abril uma notícia atraiu a atenção da mídia: uma gaúcha participara das gravações de clipe da cantora Anitta, realizadas na efervescente Miami, na Flórida. Poderia até parecer um fato prosaico, mas por trás daquela aparição evidenciava-se uma vertiginosa trajetória profissional no mundo das passarelas, da publicidade e da propaganda. E ela envolvia as decisões de uma jovem santa-cruzense, Gabriela Tomilin, em quem a mensagem da própria letra da canção assentava-se com bastante propriedade.

Aos 28 anos, Gaby Tomilin teve seu nome mencionado a partir da disseminação mundial do clipe da música Sin Miedo, que integra o novo álbum de Anitta, Kisses, lançado em 2019. Não é uma participação qualquer. Ocorre que Anitta tem nada menos do que 37,3 milhões de seguidores no Instagram, e qualquer coisa que a ela está relacionado viraliza. Se o nome de Gaby ali chamou atenção, ela própria já ostentava carreira de pleno sucesso, que a catapultara à Miami na qual Anitta também sedia os negócios associados à sua carreira artística.

 

E a história de Gabriela começou em Santa Cruz. Ela nasceu no Hospital Santa Cruz, no dia 13 de novembro de 1990, filha de Alex Beckenkamp Tomilin, natural de Rio Pardo e que na época atuava junto à Rádio Gazeta AM, e de Ingrid Hermes, natural de Segredo. É a mãe dela quem lembra que, quando Gaby veio ao mundo, os colegas do pai na Rádio Gazeta, em homenagem, ao compartilhar no ar com o público a notícia, vaticinaram que “ela veio ao mundo para brilhar”. Quando Gaby ainda era bebê, a família mudou-se para Sobradinho. Ali cresceu e firmou suas amizades. Estudante na escola Benjamin Coppetti, foi eleita Garota Verão e representou o município na final, em Capão da Canoa.

Ainda que não tenha sido selecionada entre as dez finalistas do concurso, sua beleza e sua simpatia chamaram a atenção de olheiros da agência Mega Models. Veio o convite para a composição de um book, em Porto Alegre, mas a própria Gaby relutou; não estava confiante em seguir uma provável carreira de modelo. Então entrou em cena a determinação da mãe, Ingrid, hoje diretora de Cultura junto à Casa de Cultura de Sobradinho. Ela se dispôs a acompanhar a filha a esses testes, e inclusive deu o apoio que a convenceu, aos 17 anos, a mudar-se para São Paulo a fim de apostar nessa trajetória.
 

De Miami, ela mira o futuro

A partir da fixação na capital paulista, a par das clássicas dificuldades iniciais da vida de modelo para viabilizar os primeiros trabalhos e ter a sua imagem conhecida e reconhecida em peças relevantes da publicidade e da propaganda, Gabriela começou a galgar degraus. Aprendeu a assimilar e a conviver com a saudade dos familiares. A mãe, Ingrid, e o irmão, Iury, de 23 anos, seguem morando em Sobradinho, enquanto o pai hoje reside em São Luiz Gonzaga. E foi assim que em 2017 surgiu a possibilidade da mudança para Miami. Nesse novo ambiente, sua carreira ganhou muito impulso.

E a participação no clipe de Anitta decorreu de uma de suas amizades nos EUA, com a produtora da cantora, Carina Liberato. “Faz um tempo que conheço a Carina”, informou Gabriela, por telefone, a partir de sua residência, na região de South Beach, em Miami. Um dia foi surpreendida com uma ligação da amiga produtora convidando-a a participar das gravações do clipe. “Primeiro achei que era brincadeira, mas depois vi que era sério. E decidi aceitar.” Comenta que a experiência foi muito interessante, em horas de gravação madrugada adentro, e as modelos que dançavam ao lado de Anitta precisaram se acomodar em espaço muito exíguo numa boate. “Foi cansativo, mas bem divertido”, frisa. “A canção fala de uma noite muito louca em Miami, uma noite sem medo de ser feliz, e tínhamos de entrar nesse clima. Além disso, a Anitta é muito profissional, muito competente, e foi muito legal com todos”, acrescenta.

Foto: DivulgaçãoO pai, Alex Beckenkamp Tomilin, com os filhos
O pai, Alex Beckenkamp Tomilin, com os filhos

Foto: Divulgação

Gaby com o irmão, Iury, e a mãe, Ingrid Hermes

 

Enquanto prossegue em compromissos junto à agência de modelos, Gaby também projeta retomar os estudos, manifestando intenção de investir nas áreas de técnico ou design de moda. E, enfatizando que gosta de atuar, não descarta se aperfeiçoar como atriz. Chegou a frequentar a escola Wolf Maya. A partir de Miami, ela mira o futuro. Nesses dois anos nos Estados Unidos, ainda não conseguiu vir rever os familiares e os amigos na região. A mãe é que foi passar temporada com ela por lá. Assim, cumpre a intensa agenda de modelo, e busca viver a vida. “Ah, ah, aqui se vive sem medo”, diz a letra da canção de Anitta. Gaby Tomilin parece que se esmera em cumprir isso à risca.

 

RAIO X

- Altura e peso: 1,70 e 50 quilos
- Prato preferido: churrasco e lasanha de frango da minha mãe
- Bebida preferida: suco de limão
- Um livro de que mais gostas: Harry Potter, toda a saga!
- Uma canção de que mais gostas: She rocking that thing like – The Dream
- Cantor ou banda de preferência: Justin Timberlake  e Coldplay
- Time para o qual torces: essa pergunta causa muita discórdia, prefiro não me manifestar, haha
- Lugar inesquecível: New York City
- Alguém que admires: minha mãe
- Um sonho: desfilar para a Victoria Secrets
 

ENTREVISTA

Gabriela Tomilin - Modelo

Magazine – Como foi atuar num clipe da Anitta?
Gabriela Tomilin – Foi muito divertido, e bastante cansativo... Mas sem dúvida muito mais divertido, e o cansaço valeu a pena. Porque foi uma das noites mais incríveis que tive em Miami. Onde pude fazer várias coisas numa mesma noite, e curtir tudo junto com a Anitta, que tem uma energia incrível!

Quanto tempo durou a gravação, quando e onde foi?
Foram 11 horas de gravação, das 6 da tarde às 4 da manhã, porque eram várias locações, em duas baladas muito famosas da cidade, em um barco e na rua! Então tivemos de nos locomover algumas vezes, e Miami estava no meio do spring brake, a cidade estava lotada de jovens fazendo festa, e muitas ruas estavam fechadas. Pegamos muito trânsito até no meio da madrugada!

Quem são as tuas preferências em música?
Posso dizer que sou eclética, mas gosto muito de hip hop e R&B. Dentre todos os estilos que curto, esses são mais minha cara! Curto funk, sertanejo, rock, até mesmo música clássica! Acho limitante dizer que gosto apenas de um gênero de música. Em minutos posso escutar Snoop Dogg e ir para Frank Sinatra!!

Como foi a relação, durante as filmagens, com a própria Anitta? Que impressões tiveste dela?
Eu já a conhecia. Conheci ela numa festa na casa dela. Porque temos alguns amigos em comum, ela é uma menina/mulher maravilhosa, sempre feliz e querendo fazer todo mundo sorrir e curtir. No dia do clipe, depois de uma certa hora eu estava muito cansada, e ela sempre: “Vamos animar Gaby, acho que você tá muito pra baixo”. Mesmo ela estando supercansada. Ela é uma pessoa muito admirável, pelo esforço que fez e faz na carreira. Ela tem um sonho e está batalhando sem dormir por isso! Eu assisti ao seriado dela no Netflix, e fiquei com muito mais admiração por ela. E, depois que eu vi como ela trabalha, ela mesmo direciona no clipe dela, é uma pessoa em quem você deve se espelhar, pela luta e pelo profissionalismo que tem. E não vai descansar até chegar aonde quer! Como ela mesmo disse, a gente tem de saber aonde quer chegar, e ir atrás disso!

Permaneces em contato com ela e com a sua produção?
Sim, e sobre novas parcerias nunca se sabe o que se esperar. Neste meio, o mundo é “nunca se sabe o dia de amanhã”, tudo é uma surpresa. Participar em clipes sempre foi algo que sonhei fazer, e quero muito poder participar também em clipes de cantores americanos... Dos quais sempre fui muito fã também!

Como foi, para ti, a repercussão do clipe e em que sentido entendes que ajudou a projetar tua própria carreira?
Para mim, foi a realização de algo que sempre quis, muita gente viu. Recentemente fiz um editorial para uma revista da qual a capa vai ser a Anitta. Então, uma coisa sempre puxa a outra.

Como é, mesmo à distância, tua relação com Santa Cruz e com Sobradinho? Com que frequência vens à região?
Eu simplesmente Amo Santa Cruz do Sul e Sobradinho. Não existe melhor lugar no mundo do que aquele de onde viemos! Nasci em Santa Cruz, e logo minha família mudou-se para Sobradinho! Quando estava morando em São Paulo, eu ia mais seguido para casa e ver meus amigos, e me “reenergizar”, porque a loucura do mundo suga nossa energia, e nada melhor do que se reconectar estando com a família em Sobradinho! Santa Cruz tem meu coração também. Sempre que vou para a região, é parada obrigatória, e passo em frente sempre da casa onde morei, e onde meus avós paternos moraram também! É uma energia que me faz muito bem, é de onde eu vim! Tive minha infância e adolescência em Sobradinho, e algumas partes em Santa Cruz. A Gruta dos Índios é um lugar muito especial para mim, e a Imigrante também. Guardo memórias muito felizes de lá!!

Tens planos de investir em possível carreira de atriz?
Fiz o curso de atores da escola Wolf Maya, em São Paulo, e após isso fiz alguns testes na Globo e na Record. É uma carreira difícil; sempre tive vontade, e, como em todas, precisa ser persistente. Eu amo trabalhar na frente das câmeras. O que mais amo na minha profissão de modelo é gravar comerciais.

Conte-nos de algumas das campanhas em que atuaste.
Uma das campanhas de que participei foi para a Natura , um comercial que passou em toda a América Latina. Foi um trabalho incrível, sobre todos os tipos de beleza! Fiz para C&A, com a cantora Nicole Scherzinger; Lojas Marisa, Engov, Fisk, Ford, Nivea, Shoestock, Arrezo, Kolosh... Gravei para a Noraver, marca de remédio famosa na Colômbia. São quase 11 anos de modelo... São muitas marcas, estas foram as que mais me marcaram!

Como é viver em Miami? Descreva-nos tuas impressões sobre a cidade.
É uma cidade maravilhosa para se viver. Ela é turística o ano inteiro, não importa o dia. Seja numa segunda ou sexta-feira, a cidade está fervendo! E é verão o ano inteiro, o que eu amo! Em Miami tu tens a praia e tens a cidade, tudo junto! A maioria que vem a passeio acaba conhecendo só a parte da praia (Miami Beach), onde é mais turístico e tem toda aquele estilo Miami mesmo, prédios antigos e coloridos com muitos letreiros de luz, que são realmente lindos, o charme da cidade! Cada cantinho de Miami te encanta todo dia; é uma cidade muito alegre. Vivem muitos latinos aqui também, e tu tens de aprender a falar inglês e espanhol aqui para viver, haha!