Turismo 20/05/2019 22h47 Atualizado às 07h38

Cisne Branco terá roteiro até Santa Cruz em outubro

Pacote foi reativado e vai permitir a vinda de visitantes para a cidade no mês da Oktoberfest, com almoço na vila de Santo Amaro

O Cisne Branco voltará a fazer o roteiro hidrorrodoviário entre Porto Alegre e Santa Cruz do Sul. O retorno será anunciado na noite dessa terça-feira durante a 52ª edição do Conversando sobre Turismo – Gerando Negócios, no Hotel Açores Premium, na capital, realizado pela consultoria Noratur. O passeio será no dia 19 de outubro e custará R$ 869,00 por pessoa, com a opção de pagamento em três vezes de R$ 322,00. A operadora Orgatur informa que a programação pode ser cancelada caso não tenha 60 passageiros inscritos até dez dias antes.

LEIA MAIS: Como foi o retorno do Cisne Branco à região

Em outubro de 2015, o passeio foi reinaugurado com duas viagens. Após a reconstrução do barco, avariado por um temporal, outras duas viagens foram realizadas em 2017. No ano passado, por questões técnicas, o roteiro foi novamente interrompido. De acordo com a proprietária do barco, Adriane Hilbig, trata-se de um resgate do turismo náutico no Rio Grande do Sul. “O interior tem muito potencial. Há lugares que não podem ser explorados nos trechos rodoviários. Além das belezas naturais, o público poderá ter um contato com a identidade açoriana e germânica”, ressalta.

O embarque ocorrerá no Armazém B3 do Cais do Porto de Porto Alegre, às 7 horas. Pelo Rio Jacuí, o barco passará pela Ilha do Lage, Ilha da Ponta Rasa, Ilha do Fanfa, Granja Carola, Colônia Penal General Daltro Filho, Charqueadas e São Jerônimo, até chegar a Santo Amaro, em General Câmara, onde termina o trecho hidroviário, após seis horas. A bordo, os navegantes terão serviço de lanche da manhã e almoço.

Logo após o almoço, a visita começa na vila histórica de Santo Amaro, colonizada por açorianos, e segue na Barragem de Amarópolis, que regula o volume das águas do Jacuí. Ao chegar a Santa Cruz, em ônibus, haverá um tour nos pontos turísticos, como a Catedral, o Parque da Cruz e o Parque da Gruta. A hospedagem será no Hotel Charrua. O roteiro prevê um jantar típico alemão e almoço, sem incluir bebidas. O retorno a Porto Alegre será no domingo, 20 de outubro, com previsão de chegada às 18 horas.

LEIA MAIS: Cisne Branco retoma passeio até Santa Cruz do Sul

Recuperação

Em 2016, no dia 29 de janeiro, o barco Cisne Branco virou em meio a um temporal que atingiu Porto Alegre, quando ventos de 120 quilômetros por hora foram registrados no Guaíba. A embarcação turística permaneceu durante 58 dias debaixo d’água. O valor da restauração, feita em um estaleiro de São Jerônimo, chegou a R$ 2,5 milhões, recursos arrecadados por meio de doações, permutas com empresas e crédito bancário.

Os passeios recomeçaram em 27 de setembro do mesmo ano, na celebração do Dia Mundial do Turismo. O Cisne Branco iniciou as operações em 1978. O barco tem 40 metros de comprimento, sete metros de largura e 15 de altura. A capacidade é para 200 passageiros. Ele é utilizado para turismo fluvial, entretenimento e lazer flutuante. Também fica disponível para passeios e eventos empresariais e sociais. Mais informações podem ser obtidas no site barcocisnebranco.com.br ou (51) 3224 5222.

Prospecção de visitantes

O evento desta terça em Porto Alegre também é uma oportunidade de prospecção. O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Santa Cruz, César Cechinato, vai apresentar o município como um destino turístico. A assessora administrativa da secretaria, Silvane Janice Frantz, destaca a importância dos contatos nesse setor. Segundo ela, Santa Cruz recebe grupos em feriados, por exemplo, interessados em conhecer os atrativos.

“Precisamos ter uma excelência em relacionamento, atendimento e produtos ofertados. Quando as pessoas gostam do lugar, recomendam para outras. Gera um efeito multiplicador”, explica. Silvane também ressalta as melhorias na infraestrutura. “Temos uma boa rede hoteleira, espaços para convenções e melhorias urbanas. Muitas pessoas comentam que sempre enxergam alguma coisa diferente quando retornam a Santa Cruz. É algo positivo, que demonstra um desenvolvimento constante”, enfatiza.