Pesquisa 26/05/2019 18h42 Atualizado às 19h38

Jovens são os que mais morrem em acidentes de trânsito

Estatística do Detran revela que o trânsito em Santa Cruz causou a morte, principalmente, de pessoas com idade entre 20 e 30 anos

A colisão que comoveu Santa Cruz do Sul na última segunda-feira, vitimando a jovem Thais Frantz, de 25 anos, e o acidente que matou o jovem Jackson Artur Colombo Gass, de 23 anos na BR-471 nesse sábado, são exemplos de uma trágica realidade apontada pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RS). Embora ainda não estejam nas estatísticas, os casos tiveram as mesmas características da maior parte das ocorrências fatais de trânsito no município. Durante o ano passado, segundo o Detran gaúcho, colisões frontais foram as principais causas de mortes de jovens na faixa dos 18 aos 30 anos de idade, nas estradas e no perímetro urbano de Santa Cruz.

De acordo com o Detran, 22 pessoas perderam a vida em acidentes em Santa Cruz no ano assado. Destas, dez tinham idades de 18 a 30 anos. Entre essas dez vítimas jovens no trânsito, nove eram do sexo masculino. Logo abaixo estão as vítimas com mais idade. Foram registrados seis óbitos de pessoas acima dos 60 anos – cinco delas do sexo masculino – em 2018.

O fim de semana é o período que mais mata no trânsito. Entre a sexta-feira e o domingo, 16 pessoas perderam a vida em acidentes em Santa Cruz. A maior parte desses acidentes fatais aconteceu durante a tarde, com saldo de oito vítimas entre o meio-dia e as 18 horas.  

Motociclistas, como Thais e Jackson, também foram os que mais morreram em 2018. Sete condutores de motos perderam a vida no ano passado. Na sequência, aparecem passageiros e motoristas de carros (cinco mortos em cada categoria), seguidos de três ciclistas. E colisões frontais, semelhantes à que aconteceu com a jovem, são o tipo de acidente fatal mais recorrente. Em 12 casos, uma colisão frontal entre veículos resultou em mortes.