Santa Cruz 06/09/2019 14h37 Atualizado às 16h33

Philip Morris e Universal Leaf vão compartilhar unidade de compra de tabaco

Operação logística interna da PMB será reestruturada e direcionada para uma empresa especializada

A partir desta sexta-feira, 6, as atividades de compra de tabaco realizadas pela Unidade de Tabaco da Philip Morris Brasil (PMB) em Santa Cruz do Sul passarão a ser executadas dentro da estrutura da Universal Leaf Tabacos Ltda (ULT). A iniciativa busca otimizar a alocação de recursos e a produtividade das duas empresas, sem alterar a rotina e operações de tabaco em Santa Cruz do Sul.

Os produtores locais estão sendo comunicados pelos orientadores de campo que seus contratos permanecem válidos. A única mudança para o produtor, conforme a PMB, será o endereço para a comercialização do tabaco contratado.

A unidade da ULT em Santa Cruz do Sul será readequada, passando a contar com portas de recebimento e transferência de tabaco com dedicação exclusiva para a PMB, permitindo, assim, a segregação das operações de cada empresa e otimização das atividades de ambas.

Nesse processo de busca de eficiência, a operação logística interna da PMB será reestruturada e direcionada para uma empresa especializada. A mudança resultou no desligamento de 60 pessoas que trabalhavam nas áreas de compra de tabaco e logística. Alguns colaboradores foram realocados em outros setores, mas a assessoria de comunicação da empresa não soube precisar o número exato.

Fentifumo se manifesta sobre demissões
A Federação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Fumo e Afins (Fentifumo) se manifestou na tarde desta sexta-feira a respeito das demissões dos trabalhadores da Philip Morris em Santa Cruz do Sul. De acordo com o presidente da Fentifumo, Gualter Baptista Júnior, a  entidade se solidariza com os trabalhadores e associa as demissões à falta de controle no contrabando de cigarros no Brasil. "É muito triste quando a gente constata que empresas legalmente constituídas e seus trabalhadores são prejudicados com a situação."

O presidente da Fentifumo, entidade que representa sete sindicatos laborativos nos três estados do Sul do Brasil, destaca ainda que a situação é recebida com preocupação. "Esperamos que nossas lideranças políticas, e representantes no Congresso e Senado, que conhecem a importância da cultura do tabaco, possam fazer algo para melhorar a condição das empresas formais e estancar o problema das demissões causadas em empresas como a Philip Morris", pontua o presidente.