Greve 24/09/2019 11h10 Atualizado às 13h10

Santa Cruz, Rio Pardo e Sobradinho aderem à paralisação do Poder Judiciário

Ação foi aprovada em assembleia e acontece em todo o Rio Grande do Sul

Na região, aderiram à paralisação dos servidores do Poder Judiciário gaúcho Santa Cruz do Sul e Rio Pardo. Sobradinho adere ao movimento a partir desta quarta-feira, 25. Os agentes do Tribunal de Justiça da região mantêm 30% do efetivo, conforme determinação para a greve.

A ação é motivada principalmente por um projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa que transforma o cargo de oficial escrevente em técnico judiciário. Segundo o Sindicato dos Servidores da Justiça do Rio Grande do Sul (Sindjus/RS), essa medida tornaria indefinido o futuro de cerca de 5 mil pessoas que hoje são oficiais escreventes. Em torno de 500 servidores participaram da assembleia.

Conforme a oficial escrevente Elenize Valentim, que atua na comarca de Santa Cruz, esta é a primeira pauta da mobilização. A ação leva em conta que o novo cargo teria plano de carreira, o que os oficiais escreventes não têm. “Essa greve foi deflagrada em razão da ruptura do diálogo com o Tribunal de Justiça, porque houve compromisso de discussão de uma proposta”, comentou em entrevista à Rádio Gazeta.

A pauta de reivindicações da categoria inclui ainda questões salariais e alterações no plano de carreira. De acordo com o Sindjus, a expectativa é por uma grande adesão à greve em todo o Estado. Conforme Elenize, medidas de urgência, que tratem de liberdade, saúde e vida, são cumpridas na integralidade. “A greve é a última ferramenta e só aconteceu por falta de diálogo. A gente quer respeito, dignidade e valorização.”

LEIA MAIS: Servidores do Judiciário gaúcho entram em greve nesta terça-feira