170 anos 08/10/2019 20h56 Atualizado às 12h39

Imigração alemã é homenageada com árvore em Linha Santa Cruz

Plantio de carvalho na tarde dessa terça-feira, 8, no berço da colonização, foi marcado pela emoção e o resgate histórico e cultural

Quando o som do saxofone brindou o público com o hino de Santa Cruz, entoado por Paulo Hanzen, da Associação dos Moradores do Bairro Linha Santa Cruz (Amorlisc), a muda de carvalho alemão (Quercus robur) ganhou um novo berço para prosperar. Justamente nas terras onde, há 170 anos, imigrantes alemães começaram a construir uma história marcada por fé, trabalho e educação.

Com um céu azul, públicos de todas as idades puderam admirar o momento histórico ontem nas proximidades da antiga Cooperativa Agrícola, em frente ao módulo da Brigada Militar. A árvore marca os festejos da imigração e simboliza os feitos dos antepassados de tantas pessoas. “É uma espécie milenar para demonstrar as nossas raízes”, disse Paulo Trinks, do Rotary Club Cidade Alta, entidade que promoveu a ação.

Mas antes que a pequena planta ganhasse o solo para tornar Alte Pikade ainda mais peculiar e bela, a pesquisadora Lissi Bender, uma apaixonada pela história, reforçou o significado do momento. Entre dizeres em alemão e português, a escritora lembrou: “Os imigrantes acreditavam que as florestas eram moradas de deuses. Boas almas habitariam as árvores longevas. Nada é mais exemplar que uma bela e forte árvore.”

E enquanto ela falava, olhares atentos acompanhavam o momento. Além de representantes do Rotary, da 35ª Oktoberfest e da Associação Amigos da Praça do Chafariz (Apriz), estudantes do 5º ano da Escola Estadual Affonso Pedro Rabuske se tornaram testemunhas de um novo capítulo da herança de seus antepassados. A professora Fernanda Gass fez um agradecimento em razão do convite do Rotary. “É muito gratificante. É lindo esse trabalho de resgate e valorização da cultura realizado com a comunidade. Uma chance para conhecermos ainda mais a nossa história.”

Saiba mais
No dia 21 de setembro, a Apriz promoveu o primeiro plantio comemorativo, na Praça Getúlio Vargas. Assim como a ação realizada ontem, no mês passado a atividade também relembrou o início da colonização alemã, em 1849. No Centro, há exemplares plantados na Praça da Bandeira. O carvalho alemão, árvore de grande porte, pode atingir até 40 metros de altura em seu ambiente natural e viver por até mil anos. Para o dia 19 de dezembro, data dos 170 anos, está previsto um novo plantio.