Operação Feudalismo 10/10/2019 11h40

TJ nega pedido de soltura de Paulo Lersch

Quarta Câmara Criminal julgou segundo habeas corpus apresentado pela defesa

O Tribunal de Justiça decidiu, pela segunda vez, manter a prisão preventiva do ex-vereador de Santa Cruz Paulo Lersch. O julgamento do pedido de habeas corpus apresentado pela defesa de Lersch ocorreu na manhã desta quarta-feira, 10, na Quarta Câmara Criminal.

Lersch foi preso no dia 5 de junho pela Operação Feudalismo, no Ministério Público, acusado de liderar um esquema de captação de salários de servidores da Câmara. Desde então, está recolhido junto ao Presídio Regional.

LEIA MAIS: Nove dúvidas sobre a prisão do vereador Paulo Lersch

No dia 18 de julho, a Quarta Câmara já havia negado um habeas corpus de Lersch. Também essa semana, a juíza da Primeira Vara Criminal de Santa Cruz, Luciane Glesse, negou o terceiro pedido de soltura apresentado pelo ex-vereador. A defesa ainda aguarda o julgamento de um recurso extraordinário junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília.

A fase de instrução do processo (quando são coletadas provas e depoimentos) terminou no último da 27. Agora, defesa e acusação têm prazo para alegações finais antes da sentença. Lersch responde por associação criminosa, concussão e coação no curso do processo. O ex-assessor Carlos Henrique Gomes da Silva (que foi preso junto com Lersch e solto no início de agosto) e a mãe do ex-vereador, Nersi Ana Backes, também são réus.

LEIA MAIS: O que revela o depoimento do ex-assessor de Lersch