Batalhão 02/12/2019 15h25

Exército conta com mais 20 aspirantes a oficiais da reserva

Formatura ocorreu no sábado, no 7º BIB. Jovens podem continuar vinculados ao serviço militar por até oito anos

O fechamento de um ano de atividades práticas e teóricas, de avaliações comportamentais e motoras ocorreu na manhã de sábado, com a formatura de 20 novos aspirantes a oficiais da reserva do Exército Brasileiro. Os melhores colocados terão chance de ingressar nos quartéis da região e atuar pelos próximos sete anos. Caso queiram seguir a carreira militar, os aspirantes precisam participar de algum concurso do Exército. A solenidade de formatura foi realizada na sede do 7º Batalhão de Infantaria Blindado (BIB), de Santa Cruz do Sul. 

Formados pelo Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR), os “aspiras” precisam ainda cumprir um estágio de seis meses para então ingressar na atividade militar, onde podem permanecer por mais sete anos. Contando com o período de formação, nenhum militar que não tenha feito concurso para o Exército permanece vinculado por mais de oito anos. Neste ano, o aspirante Gabriel André Görck, de Vera Cruz, espera ter semeado seu futuro. Na solenidade de sábado, ele foi apontado com o melhor conjunto de notas e, em razão disso, tem lugar garantido na seleção de aspirantes que ocorrerá em fevereiro de 2020. “Meu objetivo era ficar entre os cinco melhores colocados. Com muito esforço e dedicação, consegui chegar na frente”, afirma o jovem.

Aos 19 anos, Görck revela que deseja aproveitar ao máximo o tempo de Exército. Se mantiver a dedicação, poderá ter contrato de trabalho como militar até 2027. Depois desse tempo, ele passa para a reserva não remunerada e pode seguir carreira em qualquer outra área. “Valor, dever, disciplina e hierarquia são lições que eu aprendi aqui. São os ensinamentos do Exército para minha vida”, reforça.

O tenente Flávio Ramon Melo Moura foi instrutor de Görck. Ele é o comandante do pelotão de alunos do NPOR e estava orgulhoso de seus comandados. “Foi um ano de intensa atividade. Tivemos cinco idas ao campo, com ações práticas e uma evolução em combate. O resultado do desempenho deles é a soma de teoria, comportamento e aptidão”, explica Moura.

A turma da qual Görck foi o primeiro colocado homenageou os cem anos da Missão da França no Brasil. Na parede do prédio que sedia o NPOR – junto ao quartel de Santa Cruz –, a placa com os nomes de aspirantes junta-se a tantas outras, formadas desde a década de 1960 pelo Exército. Como homenagem ao esforço de Görck, o comandante do 7º BIB, coronel Christian Augusto dos Santos Cravo, entregou a ele uma medalha. Já o presidente da Associação dos Oficiais Militares de Santa Cruz do Sul, Jones Alei da Silva, diretor executivo da Gazeta Grupo de Comunicações, fez a entrega simbólica da espada de prata ao aspirante a oficial.

Coronel Cravo e Jones Alei da Silva na homenagem ao primeiro colocado (ao centro)

Dia de comemoração no Regimento Gomes Carneiro

O 7º Batalhão de Infantaria Blindado também é conhecido como Regimento Gomes Carneiro. A denominação homenageia um dos importantes generais do Exército Brasileiro.

Segundo o comandante do 7º BIB, coronel Christian Augusto dos Santos Cravo, o sábado passado foi mais um momento de festa e realizações no seu batalhão. “Esses jovens realizaram o serviço militar obrigatório, com a diferença de que tiveram uma carga de atividades mais intensa para que chegassem, no fim do ano, como aspirantes a oficiais da reserva, podendo ascender ao oficialato.”

Conforme Cravo, havendo vaga no Exército, os mais bem classificados na turma formada nesse sábado terão a chance de realizar um estágio em um dos quartéis militares do Rio Grande do Sul. “Após estágio de seis meses, eles poderão ter contrato, na função de tenente do Exército Brasileiro, por no máximo oito anos”, ressalta o comandante.

O coronel salienta que, paralelamente ao ingresso obrigatório no serviço militar, prestado por jovens que completaram os 18 anos de idade, existem outras maneiras de exercer a atividade. Para que se possa seguir carreira, é necessário fazer os concursos para os quadros das Forças Armadas. “Com o concurso, o oficial que ingressa na força pode ficar trabalhando durante até 35 anos”, complementa o comandante.