Governo do Estado 03/12/2019 17h51 Atualizado às 20h01

Estudo é aprovado para construção de novo prédio na Escola José Mânica

Instituição sofre há sete anos com problemas na estrutura

O governo do Estado aprovou um estudo preliminar que servirá de base para a construção do novo prédio na Escola Estadual de Ensino Médio José Mânica, em Santa Cruz do Sul. Nesta segunda-feira, 2, a direção da instituição recebeu uma ligação informando que o estudo de solo foi aprovado. A escola sofre com problemas de estrutura há sete anos. O Círculo de Pais e Mestres (CPM) teria ajuizado uma ação civil pública para que o Estado comece imediatamente as obras do novo prédio.

LEIA MAIS: Grêmio Estudantil aponta os problemas na estrutura da escola

Um contrato publicado nessa terça-feira no Diário Oficial do Estado reaviva as esperanças da comunidade escolar. O documento prevê a execução da sondagem de solo e os ensaios de liquidez e plasticidade para a ampliação do educandário. Com início imediato, o serviço tem prazo de conclusão previsto em 30 dias. A empresa Pavibras Empreendimentos Eireli vai ser a responsável pelo trabalho. O custo desta etapa é de R$ 4.546.

Em entrevista à Rádio Gazeta, a diretora da escola, Daiane Lopes, disse que as esperanças vão se renovando com cada notícia recebida. “Já tivemos algumas esperanças falsas e queremos ver (a construção) se concretizar”, afirmou.

Com apenas um prédio em funcionamento e dez salas modulares, que comportam 20 alunos em cada uma, a escola vem enfrentando diversos problemas de estrutura. Ao longo desses sete anos, um prédio acabou sendo demolido, e o que está em funcionamento enfrenta as mesmas dificuldades estruturais.

Conforme a diretora, em 2012 a escola possuía 850 alunos. Entretanto, com as dificuldades que a instituição vem enfrentando, atualmente há cerca de 530 alunos. A diminuição ocorreu por conta de transferências para outros educandários após a demolição de um dos prédios. Além disso, alguns pais tiraram seus filhos da escola por se sentirem inseguros e preocupados.

Daiane se mostrou esperançosa, mas diz que é preciso “ver para crer”. “A todo tempo somos afrontados diante de promessas que não são cumpridas, pois havia sido prometido que, em 2019, o prédio já seria construído, mas não está,” enfatizou.

LEIA MAIS
 CPM da Escola José Mânica ingressa com ação contra o Estado
Afinal, qual será o futuro da Escola José Mânica?