Empreendedor Rural 19/12/2019 16h25

Prêmio estimula a permanência de jovens no campo

Trabalhos desenvolvidos por 18 egressos da Efasc, Efasol e Crescer Legal receberam entre R$ 4 mil e R$ 6 mil de reconhecimento

Com o objetivo de incentivar filhos de produtores rurais e contribuir para sua permanência no campo, a 4ª edição do Prêmio Jovem Empreendedor Rural contemplou 18 jovens com valores entre R$ 4 mil e R$ 6 mil. A proposta é de que as quantias sejam utilizadas para implementação de projetos que diversifiquem a produção e aumentem a renda nas propriedades rurais.

A iniciativa, realizada pela Japan Tobacco International (JTI), abrangeu egressos da Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (Efasc), Escola Família Agrícola de Vale do Sol (Efasol) e Instituto Crescer Legal (ICL). A cerimônia de reconhecimento ocorreu na tarde de terça-feira, na JTI Processadora de Tabaco, em Santa Cruz do Sul.

Os projetos visam ao beneficiamento de animais, a compra de insumos e a melhoraria ou implementação de novas estruturas nas lavouras que permitam a ampliação das atividades e garantam mais renda aos produtores. A maior parte deles foi construída ao longo dos cursos oferecidos pelas instituições, baseados em um diagnóstico das propriedades e comunidades nas quais estão inseridas. Os vencedores foram escolhidos por uma banca que analisou a sustentabilidade, inovação e viabilidade dos trabalhos, como é o caso de Jefferson Rech, 19 anos, ex-aluno da Efasol, e de Simoni Kappel, 19 anos, ex-aluna do Instituto Crescer Legal.

Filho de produtores de tabaco da comunidade de Linha Trombudo, no município de Vale do Sol, ao longo dos três anos de formação técnica na instituição, Rech desenvolveu um projeto de um galpão para criação de codornas com gaiolas em aço galvanizado. Feliz com a premiação, o estudante de Agronomia sonha com os próximos passos. “Construir essa estrutura vai nos ajudar a aumentar nossa renda e mostrar para a comunidade que a escola agrícola e o prêmio Jovem Empreendedor Rural dão resultados. Além desse ser nosso primeiro passo para no futuro implementarmos uma agroindústria”, afirma.

LEIA MAIS: Instituto Crescer Legal completa quatro anos com planos de expansão

O plano de Simoni visa a implementação do cultivo de hortaliças na propriedade de seus pais, na localidade de Linha Andrade Neves, em Santa Cruz do Sul. “Meu objetivo é investir em sementes, mudas e uma boa irrigação. No futuro, quero tirar dessas produções o meu sustento”, ressalta a jovem que se diz surpresa e muito contente com a premiação.

Quando forem executar os projetos, os jovens agricultores vão ter a assessoria das instituições de ensino, e a JTI estará acompanhando a implementação, visando garantir o melhor aproveitamento do investimento. “O principal diferencial desse prêmio é contemplar jovens que têm formação na área e com propostas muito contextualizadas com suas realidades. Assim, o valor da premiação é bem aplicado e ajuda a transformar suas vidas”, afirma o membro da coordenação da Efasc, Adair Pozzebon.

Esse é o primeiro ano que o Instituto Crescer Legal e a Efasol participam do prêmio. “Como já temos uma boa experiência com essa iniciativa na Efasc e conseguimos ver que ela traz resultados para os agricultores, decidimos ampliar o número de instituições que podem participar. Assim, cada vez mais jovens podem ter a oportunidade de transformarem seus sonhos em realidade”, afirma Marinês Kittel, Supervisora de Projetos Sociais da JTI.
Para Flavio Goulart, diretor de Assuntos Corporativos e Comunicação da JTI, a premiação é uma forma de a empresa contribuir com a vida desses agricultores e incentivar a sucessão rural.

“Esse é um reconhecimento do esforço, do estudo e do trabalho desses jovens. Queremos que eles consigam visualizar um futuro no campo com oportunidades, renda, crescimento e realização pessoal e profissional. Assim, oferecemos o recurso que precisam para dar o primeiro passo nessa trajetória”, afirma. O professor e membro da coordenação da Efasol, Régis Solano, concorda e destaca que a iniciativa é um incentivo importante para combater o êxodo rural. “Um prêmio como esse é uma motivação importante para que eles se insiram ainda mais nas atividades da propriedade e optem por continuar vivendo no campo”, analisa.

Vencedores
Escola Família Agrícola de Vale do Sol (Efasol)

Jefferson Henrique Rech
Fabiano Augusto Weiland
Tiago Vinicius Kappaun
Joel Neemias Beling
Mateus Elias Grade
Adriana Luedtke

Instituto Crescer Legal (ICL)
Simoni Kappel
Camila dos Santos
Aline Schroeder
Vinicius de Moraes
Joceleia Neopomoceno
Róger Samuel de Souza

Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (Efasc)
Helem Amanda Kopp
Daniel da Rosa Silveira
Cleiton Arendt
Bruno Valentin Etges
Bernardo Zanus
Micaela Hister

LEIA MAIS: Jovens rurais aprimoram a capacidade de liderança