BELEZA FORA DO PADRÃO 05/02/2020 19h01 Atualizado às 10h54

Moradora de Vera Cruz é finalista no concurso Miss Plus Size RS

Martieli Souza busca patrocinadores para viabilizar participação na final, que acontece em outubro

Natural de Santa Cruz do Sul, mas moradora de Vera Cruz, Martieli Souza é finalista no concurso Miss Plus Size Rio Grande do Sul, coordenado por Fernanda Martinez e ligado ao Miss Plus Size Nacional, concurso promovido por Eduardo Arauju. A jovem — negra, de 27 anos, olhos verdes e manequim 54 — mora no Bairro Leopoldina e trabalha como cuidadora de idosos.

Martieli conta que foi pega de surpresa. Ainda em 2018, a amiga Marina Winck, fotógrafa de Santa Cruz, sugeriu que ela se inscrevesse na primeira etapa do concurso. Na ocasião, a votação era online, por fotografias nas redes sociais, e Martieli conquistou o terceiro lugar. No ano passado, ela recebeu o comunicado de que seria uma das finalistas da edição da seletiva estadual 2019/2020. “Foi muito impactante, não estava mais esperando”, declara.

Conforme Fernanda Martinez, a organizadora da seletiva, a grande final acontece em Porto Alegre, nos dias 10 e 11 de outubro de 2020. A ganhadora do RS passará para o concurso brasileiro, o Miss Plus Size Nacional, que acontecerá em 2021, em uma cidade ainda não definida do Rio Grande do Sul. A nova Miss Plus Size Rio Grande do Sul receberá, além da faixa, inscrição, hospedagem e passagens pagas para a etapa nacional, o equivalente a cerca de R$ 5 mil.

A final nacional é itinerante – em 2020, acontecerá em Fortaleza e terá a santa-cruzense Samanta Heinen como participante, que é atual Miss Rio Grande do Sul. A vencedora será coroada como Miss Plus Size Nacional e receberá o prêmio de R$ 6 mil, além de uma viagem com acompanhante e presentes de patrocinadores.

Samanta Heinen (de azul), atual Miss Rio Grande do Sul, ao lado de Fernanda Martinez | Foto: Arquivo Pessoal

Para Martieli, ainda é necessário confirmar a participação até o dia 5 de março. Segundo ela, a inscrição custa R$ 900,00. “Esse valor inclui a estadia de um dia, cabelo e maquiagem”, explica. Ela disse que ainda precisa decidir se irá concorrer e deverá buscar a aprovação junto à Prefeitura de Vera Cruz para representar o município. Além disso, pretende buscar patrocínios para arcar pelo menos com parte dos gastos.

Mulher, negra e gorda

Para Martieli, a questão da aceitação foi a mais difícil. “Como participar de um concurso se eu não me aceitava? Não é um processo fácil”, disse. Foi preciso trabalhar, sobretudo, o psicológico. “Num mundo de racismo estrutural, é preciso ser forte para ser mulher, negra e gorda”, desabafa.

Martiele entende que há um padrão de beleza imposto pela sociedade e as pessoas que não se encaixam nesse perfil enfrentam dificuldades. Ela conta que já viveu isso na pele, por exemplo, em entrevistas de trabalho. “As pessoas olham torcido e acham que o peso vai me limitar em alguma coisa e não olham para a minha capacidade. Hoje em dia ter um currículo bom já não é mais garantia de nada”.

Para Martieli, a questão da aceitação foi a mais difícil | Foto: Arquivo Pessoal

LEIA TAMBÉM: A rainha Thais chegou para desafiar os rótulos

Os concursos

A seletiva gaúcha integra o Miss Plus Size Nacional, promovido por Eduardo Arauju. No Brasil, ainda há outros dois concursos plus size registrados e oficiais: o Miss Brasil Plus Size, promovido por Alberto Conde; e o Miss Brasil Plus Size Oficial, de Renata Issas.