sob investigação 27/02/2020 14h59 Atualizado às 14h53

Santa Cruz tem caso suspeito de coronavírus

Paciente esteve em viagem pela Europa, onde apresentou sintomas similares aos provocados pela doença

Santa Cruz monitora um morador que apresenta quadro de infecção respiratória com sintomas compatíveis com o coronavírus. O paciente esteve recentemente em viagem pela Itália, onde teve os primeiros sintomas. Ao voltar ao Brasil, o quadro se manteve. Por causa da passagem pela zona de contaminação e pela manutenção do quadro sintomático, o caso é tratado como suspeito pela Vigilância Epidemiológica. Segundo informações apuradas pela reportagem, nesta quinta-feira, 27, equipes da Secretaria Municipal da Saúde coletaram material para exames em laboratório.

LEIA TAMBÉM: Santa Cruz apresenta plano de contingência do novo coronavírus

O material das vias respiratórias foi enviado para o Laboratório Central do Estado (Lacen). O objetivo é verificar a possibilidade de ser um dos outros vírus que já existem no país, como influenza e H1N1. Se confirmado um quadro de gripe, o caso deixa de ser considerado suspeito para coronavírus. Se os exames no Lacen não identificarem a doença, o material será repassado para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para análises específicas em relação ao coronavírus. Todo o processo de verificação deve levar até quatro dias.

A Secretaria Municipal da Saúde convocou uma coletiva, para o fim da tarde desta quinta-feira, para abordar o assunto.

Morador de Santa Cruz está em isolamento

O santa-cruzense, que não teve a identidade divulgada, está isolado na própria residência. Seguindo o Plano de Contingência apresentado nesta quarta-feira, 26, a Vigilância Epidemiológica passou a buscar informações sobre todas as pessoas que tiveram contato com o paciente.

O coronavírus tem incubação de até 14 dias. Isto significa que ele pode se manifestar e passar para outra pessoa dentro deste período.

LEIA MAIS: Confirmado o primeiro caso de coronavírus no Brasil

Como evitar o coronavírus

A forma mais eficiente de combater a doença é por meio da prevenção. Entre as recomendações estão evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca, além de higienizar as mãos após espirrar, manter ambientes bem ventilados e lavar as mãos com frequência.

Outras orientações são reduzir contato com pessoas que sofrem de infecções inflamatórias, não compartilhar objetos como talheres, pratos e copos. Também é preciso cobrir nariz e boca com lenços descartáveis ao espirrar ou tossir.