ALERTA 27/02/2020 20h17 Atualizado às 15h05

Saúde acompanha caso suspeito de coronavírus e pede calma à população

Primeiro caso suspeito em Santa Cruz veio a público nesta quinta-feira. Pessoa está isolada em casa e já teve material encaminhado para exames

Diante da confirmação de que um morador de Santa Cruz do Sul está sendo monitorado por suspeita de infecção pelo coronavírus, a Secretaria Municipal de Saúde realizou nesta quinta-feira, 27, uma coletiva de imprensa para tratar do assunto. O paciente esteve recentemente na Itália e apresentou sintomas de infecção respiratória.

Na coletiva de imprensa, o secretário municipal de Saúde, Régis de Oliveira Junior, explicou que, nos últimos dias, os profissionais da rede municipal de saúde passaram por capacitações para atender pacientes com suspeita do coronavírus. O secretário afirmou que o momento é de atenção, mas ressaltou que a comunidade deve ficar tranquila.

LEIA MAIS: Santa Cruz tem caso suspeito de coronavírus

Questionada sobre o que leva à suspeita de infecção pelo novo coronavírus, a médica da família e comunidade, Clauceane Venke Zell, explicou que os critérios da Organização Mundial da Saúde são os sintomas apresentados e a viagem recente a um dos locais onde há transmissão do vírus. “Primeiro, a equipe de saúde fará um teste para o vírus comum da gripe, para depois fazer o teste do coronavírus. Após, o Hospital Santa Cruz será acionado para a realização de exames e o Laboratório Central do Estado (Lacen)”, ressaltou.

Segundo Clauceane, depois de descartadas outras doenças respiratórias é que começam a ser monitoradas pessoas que tiveram contato com o paciente com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. A confirmação da doença é feita pela Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Mais de 130 casos suspeitos no país
De acordo com o secretário Régis de Oliveira Júnior, dados atualizados até as 14 horas desta quinta-feira apontam 132 casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus no Brasil. O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, divulgou as informações nesta tarde e destacou que mais de 200 notificações vindas dos estados ainda não foram analisadas. Por isso, o número de casos suspeitos no país pode passar de 300.

Oliveira Júnior solicitou que a população tome cuidado com as notícias falsas, as chamadas fake news. Segundo ele, toda nova informação sobre o assunto no município será divulgada pela Secretaria da Saúde, através de coletivas de imprensa como a realizada nesta quinta.

LEIA TAMBÉM: Santa Cruz apresenta plano de contingência do novo coronavírus

Segundo o médico infectologista Marcelo Carneiro, também presente na coletiva, é importante que as pessoas entendam que, apesar do alerta mundial, a maior parte dos casos da doença não apresenta gravidade. “Devemos tentar evitar o que aconteceu na China e na Itália, que foi a transmissão pela região. A maioria dos casos não são graves, mas não queremos que o vírus se dissemine”, afirmou.

Morador de Santa Cruz se automedicou antes de retornar ao Brasil
A coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Luciane Weiss Kist, contou que o morador de Santa Cruz com suspeita de infecção começou a sentir alguns sintomas enquanto estava na Europa e se automedicou. Por isso, ele chegou ao Brasil assintomático.

Carneiro alertou que o uso de máscaras deve ser feito apenas por pessoas que estiverem apresentando os sintomas do coronavírus. “Ao apresentar os sintomas, a forma mais segura é entrar em contato com a vigilância epidemiológica para a realização do atendimento domiciliar, evitando um desespero local e o contato com outras pessoas”, explicou.

O médico destacou, ainda, que a população não deve ter receio de entrar em contato com a Secretaria de Saúde, mas que é extremamente importante manter o sigilo e a tranquilidade. O contato da Vigilância Epidemiológica de Santa Cruz do Sul é o 3715 1546.

LEIA MAIS: Confirmado o primeiro caso de coronavírus no Brasil