alerta 04/03/2020 15h24 Atualizado às 16h03

Santa Cruz registra terceiro caso suspeito de coronavírus em menos de uma semana

Todos envolvem moradores do município que voltaram recentemente da Itália com sintomas da doença

A Vigilância Epidemiológica em Santa Cruz do Sul tem mais um paciente com suspeita de coronavírus. É o terceiro caso em menos de uma semana no município. A situação envolve uma pessoa que retornou na segunda-feira, 2, de uma viagem para a Itália. Logo em seguida, ela passou a ter um quadro de infecção respiratória com sintomas compatíveis com o coronavírus.

LEIA TAMBÉM: Santa Cruz apresenta plano de contingência do novo coronavírus

O material das vias respiratórias foi recolhido nesta terça-feira, 3, e encaminhado para exames no Laboratório Central do Estado (Lacen). O objetivo é verificar a possibilidade de um quadro de gripe provocado por vírus que são comuns no Rio Grande do Sul. Se os testes derem negativo, o material será remetido para um exame específico para coronavírus, a ser realizado em São Paulo.

Por enquanto, o paciente, que não teve sexo nem idade revelados, está em isolamento na própria residência. Ele recebe acompanhamento da Vigilância Epidemiológica.

Na última sexta-feira, 28, um morador de Santa Cruz se tornou o primeiro caso suspeito de coronavírus no município. Ele apresentou sintomas depois de uma viagem para a Itália e chegou a ficar em isolamento na residência. Na segunda-feira, 2, mesmo sem o resultado dos exames mas já sem riscos de transmissão, ele recebeu alta.

LEIA MAIS: Confira dez perguntas e respostas sobre o coronavírus

O segundo caso suspeito também surgiu na segunda-feira. O santa-cruzense viajou para a Itália e voltou com quadro de infecção respiratória. Os sintomas são compatíveis com o coronavírus. Ele permanece isolado na residência. Os resultados dos exames ainda não foram divulgados.

Saiba como se proteger do coronavírus

A forma mais eficiente de combater a doença é por meio da prevenção. Entre as recomendações estão evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca, além de higienizar as mãos após espirrar, manter ambientes bem ventilados e lavar as mãos com frequência.

Outras orientações são reduzir contato com pessoas que sofrem de infecções inflamatórias, não compartilhar objetos como talheres, pratos e copos. Também é preciso cobrir nariz e boca com lenços descartáveis ao espirrar ou tossir.