Estiagem 18/03/2020 07h24

Região deve ter apenas dois dias de chuva até o fim do mês; veja previsão

Em abril, deve haver melhora na situação dos agricultores, mas sem reverter o prejuízo

A previsão de chuva não é animadora para o Vale do Rio Pardo, conforme a meteorologista da MetSul, Estael Sias. Existe a possibilidade de chover nesta quarta-feira, 18, inclusive com alerta do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe) para raios, vendaval e granizo. Depois, serão nove dias de tempo seco. “A maioria dos modelos aponta para chuva no dia 27”, disse.

LEIA MAIS: Mesmo com a chuva desta semana, estiagem vai continuar até abril

Estael salientou a tendência de precipitações mais frequentes para abril, o que melhora a situação dos agricultores, mas sem reverter o prejuízo da estiagem, agravada entre o fim de fevereiro e o início de março. “O indicativo é de que os volumes pluviométricos serão maiores durante o mês de abril”, enfatizou.

Com relação à temperatura, o Cptec/Inpe indica variação entre 21 e 26 graus em Santa Cruz nesta quarta. Na quinta-feira, 19, os termômetros ficam na faixa entre 22 e 29 graus. De sexta-feira até o início da semana, haverá uma evolução gradativa, com mínimas de 16 a 18 graus e máximas entre 29 e 32 graus.

LEIA TAMBÉM
Paineiras economizam água para resistir à estiagem
Fogo consome seis hectares de mata em Cerro Branco
Rio Pardinho: cenas de um rio que agoniza há vários anos

Emater

Em meio à estiagem, a Emater/RS-Ascar também está precisando se adaptar para fazer frente ao coronavírus. Segundo a gerente regional, Lúcia Souza, as reuniões estão suspensas e os atendimentos nos escritórios foram reduzidos para evitar aglomerações.

Os extensionistas seguem visitando propriedades para fornecer assistência aos agricultores e pecuaristas, mas com mínimo contato. Os produtores rurais foram aconselhados a evitar idas desnecessárias às zonas urbanas, mais suscetíveis à transmissão do coronavírus.

“As pessoas das zonas rurais podem revezar as viagens como os vizinhos, como para fazer compras no supermercado, por exemplo. Todos devem tentar ter o mínimo de exposição”, salientou.


MAIS LIDAS