Investimento 24/03/2020 11h08 Atualizado às 13h51

Prefeitura de Santa Cruz pretende criar mais 20 leitos de UTI

Os espaços devem ser usados para assistência aos pacientes que apresentem gravidade nos casos de coronavírus

A Prefeitura de Santa Cruz do Sul encaminhou ao Estado um pedido para a implantação de mais 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Eles serão divididos entre os hospitais Ana Nery e Santa Cruz. A ideia surgiu após o Ministério da Saúde anunciar a distribuição de 540 leitos de UTIs para os estados. Os espaços devem ser usados para assistência aos pacientes que apresentem gravidade nos casos de coronavírus.

A informação foi repassada pelo prefeito, Telmo Kirst, em entrevista à Rádio Gazeta na manhã desta terça-feira, 24. “Apresentamos o projeto para 13ª Coordenadoria Regional de Saúde. Temos espaço disponível e aguardamos a resposta do Estado.”

Em relação ao Ana Nery há espaço com possibilidade de oito a dez leitos de Centro de Terapia Intensiva (CTI) e mais nove a dez de internação. O local está pronto, mas há necessidade de instalação de equipamentos para colocar em operação. Os espaços também poderiam ter acesso exclusivo para pacientes com sintomas de coronavírus, com classificação de risco, e para consultas.

Já o Hospital Santa Cruz tem possibilidade de dez leitos de UTI no Pronto Atendimento e mais cinco de CTI. O local também está pronto mas precisa de instalação de equipamentos para colocar em operação. O acesso também será diferenciado.

“Estamos trabalhando sério para que o amanhã seja menos amargo e menos ruim”
Na entrevista, o chefe do Executivo ressalta que a Administração Municipal segue trabalhando, com controle, para poder pagar a folha apesar das restrições nas atividades econômicas. “Essa semana tivemos uma suplementação para a área do lixo. O recolhimento de lixo não pode parar, isso é saneamento, é saúde pública. Estamos acompanhando cada momento, é uma verdadeira síndrome que abate o mundo.”

O prefeito ainda agradeceu o trabalho dos membros do gabinete de emergências, do 7º Batalhão de Infantaria Blindado (7º BIB), dos profissionais de saúde e dos voluntários que têm trabalhado para ajudar nas medidas para prevenir o coronavírus. “No fim do dia nos reunimos e avaliamos que fizemos o melhor para prevenir. Ninguém pode prever o amanhã, não podemos saber como será. Estamos trabalhando sério para que o amanhã seja menos amargo e menos ruim. Tivemos que segurar algumas obras, como calçadão da Floriano, o Novo Cemai que é a menina dos olhos, isso é doloroso para um chefe do Executivo, mas em primeiro lugar vem a saúde da população e estamos focados nisso.”

Sobre implantar mais medidas restritivas como o toque de recolher, por exemplo, o prefeito diz que mais ações serão feitas conforme medidas adotadas pelos governos federal e estadual. “Estamos atentos. O comitê faz reuniões para sugerir medidas e estamos prontos para tomar qualquer outra decisão.”

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS