AGROECOLOGIA 13/05/2020 19h57 Atualizado às 20h16

FOTOS: casal implanta horta em formato de mandala em Rio Pardinho

No espaço, são produzidos produtos orgânicos, que podem ser adquiridos no sistema colha-e-pague

A preocupação com o meio ambiente e com a busca por alternativas que sejam autossustentáveis fez o engenheiro eletricista Alexandre Guedes da Luz e a esposa Gislaine Thomas transformarem a sua propriedade em um sítio agroecológico. Distante apenas 15 quilômetros do centro de Santa Cruz do Sul, no distrito de Rio Pardinho, o Sítio Thomas Ecke possui área de 23 hectares, com mais de 40% de mata nativa e o restante voltado ao cultivo de hortaliças orgânicas, além de pomar de noz pecã, aviário de galinhas e criação de ovinos.

LEIA MAIS: Cabeleireira produz horta reciclável no Bairro Várzea

Um dos diferenciais do sítio é a horta no formato de mandala. Com 50 metros de diâmetro, no espaço são cultivados cerca de 20 itens diferentes, como alface, repolho roxo e verde, couve-flor, brócolis, tempero verde, rúcula, beterraba, couve chinesa e morangos, entre outros. Todos os alimentos, plantados de forma harmônica, dispensam o uso de agrotóxicos e são cultivados apenas com produtos orgânicos.

Segundo o proprietário, Alexandre Guedes da Luz, a construção da horta foi pensada nos mínimos detalhes para ser algo diferente do habitual. “A mandala tem o conceito de emanar energia, por estar em círculos. Pesquisamos algo que, além de diferente, tivesse um aspecto acolhedor”, afirmou.

LEIA MAIS: Aposentado mantém horta em terraço no Bairro Schulz

Produção de hortaliças segue preceitos orgânicos e oferece ao público a opção de colher por conta própria os itens de sua preferência | Foto: Rafaelly Machado

A propriedade dispõe do sistema colha-e-pague, onde o consumidor tem a chance de colher os produtos frescos que vai levar para casa. Outra possibilidade é fazer encomendas pelo WhatsApp (51) 9 9696 5553. A entrega é feita por agendamento, assim como as visitas à propriedade. Uma loja de produtos orgânicos, que está em obras, logo deve começar a funcionar em anexo.

Luz explicou que um dos principais objetivos do sítio é levar as pessoas a terem a vivência da plantação. “É a possibilidade de as pessoas terem o contato com a terra, poderem colher e levar para casa produtos orgânicos, de que eles sabem a hora e o local em que foram colhidos.” Muitas famílias também procuram o espaço para que crianças possam interagir com o meio ambiente.

FOTOS: recicladora cria horta e pomar só com doações

Alexandre relatou que horta-mandala foi pensada para ser algo diferente do habitual | Foto: Rafaelly Machado


Cuidados para ter alimentos sem contaminação

Desde que o cultivo de hortaliças teve início, em março deste ano, mais de 400 pessoas já visitaram a propriedade de Alexandre Guedes da Luz e Gislaine Thomas. O manejo da terra e o cultivo são realizados pelo casal. Somente quando há uma demanda maior ocorre contratação de pessoas para auxiliar. Todas as etapas da produção contam com acompanhamento técnico feito por um engenheiro agrônomo. Os proprietários têm preocupação especial em trabalhar para que os alimentos estejam livres de contaminação, sem agrotóxicos. Por isso, existe uma atenção especial voltada à questão da água e seu uso consciente.

LEIA MAIS: Alternativa à seca: cisterna é simples e segura para armazenar água

O sistema de irrigação da horta é automático, o que oferece a opção de programar em quais dias e horários deve ocorrer o acionamento. A captação de água é feita de uma fonte natural, preservada. Luz ressaltou, ainda que em breve fará a construção de uma estufa de morangos, um minhocário e um aviário de codornas. Além disso, planeja promover atividades de lazer e de consciência agroecológica. “Queremos criar outras alternativas, como um espaço para as pessoas fazerem piqueniques, trilhas, e estamos analisando a possibilidade de as crianças terem contato mais próximo com os animais que temos aqui na propriedade”, disse.

LEIA MAIS: Projeto Repensar terá ações mensais de incentivo a práticas sustentáveis