Eu, Gourmet 15/05/2020 09h37

Legítimo 2 em 1: o vazio marinado com batatas

Refeição completa, sem a necessidade de acompanhamentos, também pode ser preparada com o envolvimento das crianças

A mistura de carne preparada com temperos frescos, depois acompanhada de batatas assadas, torna-se uma ótima pedida para uma refeição completa, sem a necessidade de acompanhamentos e outros ingredientes. Esta é mais uma daquelas receitas que se pode envolver as crianças no preparo de alguns procedimentos, sempre com cuidado e observância de um adulto. Confira o vazio marinado com batatas.

COM O QUE E COMO FAZER* 

Ingredientes: (para quatro pessoas) 
1 kg de vazio sem gordura cortado em retângulos com 5 por 3 cm mais ou menos
500 g de batatas-inglesas brancas pequenas
1 colher de sopa de azeite de oliva
2 colheres de sopa de manteiga
4 dentes de alho picadinhos
1 colher de chá de tomilho fresco
1 colher de chá de alecrim fresco
1 colher de chá de orégano fresco
Sal e pimenta-do-reino moída a gosto

Para a marinada:
1/3 xícara de molho de soja
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de molho de pimenta

Preparo: Em uma tigela grande, misture os retângulos de vazio com molho de soja, azeite e molho de pimenta. Deixe marinar por cerca de 30 minutos. Corte as batatas no sentido do comprimento em quatro partes. Em uma frigideira grande, em fogo médio/alto, misture uma colher de sopa de azeite e uma colher de sopa de manteiga. Quando a manteiga derreter, adicione as batatas. Tempere com sal e pimenta. Cozinhe por cerca de três minutos, mexendo. Leve a uma assadeira e coloque no forno a 200 graus por cerca de 20 minutos até que as batatas estejam douradas e macias. Enquanto isso, na mesma frigideira, em fogo médio, adicione as duas colheres de sopa de manteiga restantes, o alho, a pimenta e as ervas frescas. Coloque os pedaços de vazio em uma camada da frigideira, mantendo a marinada escorrida para mais tarde. Cozinhe as tiras de cada lado por três minutos até dourar. Despeje a marinada e em fogo alto deixe ferver e cozinhe por três minutos. Ajuste o tempero com sal e pimenta, se necessário. Retire do fogo e retire as batatas do forno, monte numa bandeja e sirva com um toque a mais de pimenta, ervas frescas e uma pitada de queijo parmesão sobre as batatas, se quiser.

*Confira receitas, crônicas e dicas de vinhos acessando o blog www.eu-gourmet.com ​

Fala baco
A uva Syrah é uma de minhas preferidas. Sua origem remonta ao império persa em tempos antes de Cristo, mais precisamente onde hoje é o Irã. Mas outros estudos apontam que ela é genuinamente francesa e descende de outras espécies de uvas daquele país: as variedades pouco conhecidas Mondeuse Blanche (branca) e Dureza (tinta). A França é o maior e mais tradicional produtor de Syrah, com grande concentração no vale do rio Rhône, onde há quase 70 mil hectares plantados. É seguida pela Austrália, com cerca de 42 mil hectares. 

E foi a Austrália, cujo cultivo data do século 19, que inclusive mudou o nome da uva para Shiraz. Esse país despontou com vinhos de excelente qualidade a partir da década de 80. Também é cultivada no Chile, em praticamente todas as regiões; na África do Sul e nos Estados Unidos e, no Brasil, no Rio Grande do Sul, no Vale do São Francisco, em Minas Gerais e em São Paulo. E é do Chile que vem o vinho comentado desta semana, produzido pela Viña Tarapacá, o Tarapacá Gran Reserva Syrah 2017, do Vale do Maipo. Fundada em 1874, a Viña Tarapacá despontou entre os nomes fortes do vinho chileno de qualidade, com 600 hectares de vinhos nesse vale. Possui cor rubi profundo e carrega aromas que tornam esta casta enebriante, com amoras e cerejas pretas, alcaçuz, azeitonas, pimenta, couro e floral (violetas e lavanda). Também compota e passas. Em boca mostra-se estruturado, com médio corpo, taninos macios e volumosos em boca. Saboroso e com larga persistência, resgata a fruta e a pimenta no paladar. 

Amplo na harmonização, acompanha desde carnes de caça, como coelho e javali, até porco, cordeiro e queijos maduros. São ótimos parceiros risotos e massas com molhos estruturados, além de temperos fortes, como cebola, alho, mostarda, pimenta, louro e as ervas aromáticas, como alecrim e tomilho. Até mesmo hambúrgueres com molho barbecue ou um lombo de porco com especiarias asiáticas e lasanha de berinjela com molho de queijos.

Este Syrah estagiou por 14 meses em barricas de carvalho francês e americano. Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado refrescado, na temperatura de 16 a 18 graus.  

Você encontra os vinhos Tarapacá na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Avenida João Pessoa, 895, em Santa Cruz do Sul. Telefone (51) 3711 3665 e telentrega pelo WhatsApp (51) 98416 6407. O site é o www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!

 

Foto: Emerson Haas

 

Você sabia
A batata (Solanum tuberosum L.) é nativa da América do Sul, da Cordilheira dos Andes, e foi consumida por populações nativas há mais de 8 mil anos, estando adaptada aos dias curtos da região. Sua introdução na Europa, por volta de 1570, fez com que a espécie fosse selecionada para tuberização em dias longos. Por volta de 1620, foi levada da Europa para a América do Norte, onde se tornou alimento popular. Há fortes evidências de que seja nativa de duas áreas da América do Sul: as terras altas da Cordilheira dos Andes, que vão do Peru ao Norte da Argentina, e as terras baixas do Centro-sul do Chile.
 

Foto: divulgação