Coronavírus 22/05/2020 16h18

Igrejas começam a se adaptar após a liberação

Decreto da Prefeitura determinou que templos podem ser frequentados pelo público, com respeito a medidas restritivas

Um novo decreto, divulgado na noite dessa quinta-feira, 21, pela Prefeitura de Santa Cruz do Sul, permite a reabertura, com restrições, das igrejas no município. A flexibilização atende a uma série de pedidos de líderes religiosos, que questionavam o fechamento dos templos uma vez que a maioria das cidades gaúchas havia liberado a abertura mediante orientações e protocolos. As celebrações nas igrejas estavam suspensas desde março, quando a Administração Municipal divulgou o primeiro decreto de restrições contra o novo coronavírus.

Em uma live realizada na manhã da quinta-feira, o bispo dom Aloísio Dilli, da Diocese de Santa Cruz do Sul, falou da expectativa em relação ao decreto que, então, estava para sair. “É uma boa notícia, mas queremos acentuar, como sempre, a atenção com a vida. Queremos cuidar das pessoas. Então, seguiremos todos os protocolos que os órgãos públicos vão repassar”, ressaltou. Para ele, é importante valorizar as outras formas de celebração. “Aqui na região os decretos foram respeitados e a diocese não fez pressão para a retomada das celebrações.”

LEIA MAIS: Celebrações religiosas poderão ocorrer com participação de até 30 pessoas em Santa Cruz


O vice-presidente da região eclesiástica da Igreja Assembleia de Deus, pastor Neemias da Silva Júnior, comemorou a decisão de liberar as igrejas. Contudo, afirmou que a reabertura dos templos que correspondem à congregação deve ocorrer somente ao longo da próxima semana. “É muito positiva essa iniciativa da Prefeitura de flexibilizar a reabertura das igrejas seguindo as recomendações de distanciamento. Estamos com um grupo de trabalho que irá avaliar os protocolos para organizar nossos templos. Na próxima semana, divulgaremos um comunicado oficial sobre o assunto”, ressaltou.

A atuação da Igreja Assembleia de Deus na região compreende 70 locais de culto em oito municípios, sendo 42 templos e 28 locais cedidos. Só em Santa Cruz do Sul são 12 templos. Neemias comentou que o trabalho social que a igreja desenvolve foi prejudicado pelo fechamento. “Mesmo que façamos o melhor, não conseguimos atender a todos com as igrejas fechadas.”

LEIA MAIS:
Prefeitura de Santa Cruz vai permitir a reabertura de igrejas
Fechada pela pandemia, igreja mantém ativo o trabalho social

“Decisão é temerária”, avalia pastor da IECLB

Em reunião virtual realizada nessa quinta, os pastores da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) de Santa Cruz do Sul decidiram que não irão abrir as portas de suas igrejas, mesmo com a liberação por parte do Município. A comunidade alega que a determinação de abertura passa pela diretriz nacional da congregação. A partir disso, são analisados todos os protocolos a serem obedecidos.

“Consideramos temerária essa decisão tomada pela Prefeitura, uma vez que Santa Cruz do Sul possui um número crescente de novos casos de Covid-19. Não vamos ceder a pressões políticas. Nossa preocupação é com a vida”, ressaltou o pastor da comunidade Centro da IECLB, Márcio Arthur Trentini.

Segundo ele, a recomendação é continuar com as celebrações transmitidas ao vivo pela internet. “Encaminhamos uma carta endereçada ao Gabinete de Emergências com as nossas considerações. Apoiamos que as decisões possam ser tomadas por orientações técnicas”, complementou.

Já o bispo regional da Igreja do Evangelho Quadrangular, Eurípides Vieira, confirmou que a congregação irá abrir seus templos ao longo dos próximos dias, seguindo todos os protocolos de distanciamento determinados pela Prefeitura. “A situação de Santa Cruz do Sul nos deixou surpresos. Foi uma das únicas cidades, no meu conhecimento, em que as igrejas tiveram que ficar fechadas, mesmo após a liberação do Estado. Até Lajeado, que tinha bandeira vermelha, liberou no mês passado. Aqui, liberaram os restaurantes e as igrejas ficaram de fora”, ressaltou Vieira.

“Vamos abrir dentro do que a Prefeitura determinou, respeitando os protocolos”, complementou. A congregação regional da Igreja do Evangelho Quadrangular conta com templos em 46 municípios dos vales do Taquari e Rio Pardo, além do Centro-Serra. Em Santa Cruz do Sul, os templos ficam nos bairros Bom Jesus, Esmeralda, Arroio Grande e Distrito Industrial.

LEIA TAMBÉM: Legislativo cobra abertura das igrejas em Santa Cruz

Trentini: “Não vamos ceder a pressões” | Foto: Alencar da Rosa


Novo decreto permite abrir os templos já a partir desta sexta-feira

Por meio de novo decreto, a para acessos asfálticos e foram remanejadas para o combate ao coronavírus. Prefeitura de Santa Cruz do Sul confirmou a liberação das igrejas para funcionamento já a partir desta sexta-feira, 22. Ficou estabelecido que em relação ao teto de ocupação dos templos, deve-se obedecer ao limite máximo de 30 pessoas ao mesmo tempo; lotação não excedente a 50% da capacidade máxima do espaço de realização da missa/culto e distanciamento mínimo de 2 metros entre cada um dos presentes. Somente terão acesso à igreja aqueles que estiverem fazendo uso de máscaras.

Quanto ao modo de operação e horário de funcionamento, as missas e cultos poderão ser realizados limitados a um evento por dia, na mesma igreja, com tempo de no máximo uma hora, no horário compreendido entre 8 horas e 20 horas, de segunda-feira a domingo. Após a realização da missa ou culto, a igreja deverá ser fechada ao público. Os atendimentos individuais poderão ser agendados em outros horários, observando-se as normas de distanciamento e higienização. Não estão autorizadas cerimônias de batismo, casamento e similares e não poderão ser compartilhados objetos durante o culto ou missa para celebração da santa ceia ou comunhão.

LEIA TAMBÉM: Mais 549 casos de Covid-19 são confirmados no Rio Grande do Sul

Também deve ser exigido que os participantes, ao entrarem na igreja, higienizem as mãos com álcool em gel. As missas e cultos somente poderão ser realizados por padres, pastores ou ministros religiosos que estão previamente cadastrados junto à Secretaria Municipal de Saúde. Todas as informações do cadastro de organizações religiosas de Santa Cruz do Sul devem ser preenchidas, sob pena de descumprimento do decreto. Se for constatado surto de Covid-19 relacionado à igreja ou templo, será fechado e terá suas atividades suspensas pelo prazo de 14 dias.


Sem contato físico

Conforme o novo decreto, as igrejas deverão impedir o contato físico entre as pessoas. À frente dos templos, também deverão ser fixados cartazes visíveis ao público contendo informações e orientações sobre a necessidade de higienização das mãos, uso de máscara, distanciamento entre as pessoas, limpeza de superfícies, ventilação e limpeza de ambientes.

O documento prevê ainda que os participantes não devem se deitar no chão ou qualquer outro local do templo. Pessoas com sintomas de gripe devem ser impedidas de ingressar nas missas e cultos.

>> CONFIRA O DECRETO NA ÍNTEGRA

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS