Nova inspeção 29/06/2020 21h43

Rigor em vistoria busca conter avanço da Covid-19 em Rio Pardo

De acordo com o fiscal Élgio Lopes, desde o início da pandemia a casa geriátrica onde foram registrados três óbitos pela doença vem seguindo todas as normativas exigidas

Após o terceiro registro de óbito de paciente da Instituição de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) em Rio Pardo, por coronavírus, a Vigilância Sanitária do município efetuou uma nova vistoria no local na tarde desta segunda-feira, 29. Segundo o fiscal Élgio Lopes, desde o início da pandemia a casa geriátrica vem seguindo todas as normativas exigidas e, desde o primeiro caso positivo, investiu fortemente em Equipamento de Proteção Individual (EPI).

A prefeita Rosane Rocha solicitou uma reunião com a 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) para assegurar ao município mais segurança quanto ao trabalho que vem sendo feito no local a partir das medidas repassadas e reforçadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Durante o encontro, que contou com a participação da Vigilância Sanitária e Epidemiológica do Município, Procuradoria, Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Municipal de Administração, o Plano de Contingência da Clínica Geriátrica foi repassado e alguns pontos reavaliados para que novas ações preventivas possam ser tomadas. Segundo a Coordenadora da 13ª CRS, Mariluci Reis, os protocolos vindos da Secretaria Estadual de Saúde asseguram que as normativas de conduta foram seguidas, porém, novos ajustes serão feitos.

LEIA MAIS: Surto em casa geriátrica de Rio Pardo é monitorado

Apesar de permanecer em funcionamento, o espaço está atendendo somente os pacientes já internados. “Todos os funcionários que estão em contato com idosos positivados estão trabalhando com EPI apropriado e nenhum deles possui outra atividade profissional, apenas na geriatria”, informou a secretária Municipal de Saúde, Sucila Leipnitz.

Até o momento, 13 exames foram realizados entre profissionais e pacientes. Dos oito que positivaram, três morreram, três seguem em isolamento na clínica e dois estão hospitalizados. “É preciso seguir os protocolos para a realização dos exames. Eles devem ser realizados dez dias após a apresentação dos sintomas, pois, caso feitos de forma precipitada, corre-se o risco de termos um resultado incorreto”, explicou a secretária.

Durante a semana, as vigilâncias Sanitária e Epidemiológica farão novos contatos com as demais geriatrias da cidade, a fim de reforçar informações e experiência de trabalho junto à instituição que apresentou o surto, para que nenhuma venha a registrar novos casos na cidade.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS