Vertendo água 18/07/2020 11h34 Atualizado às 12h33

Entenda a umidade nas paredes e nos pisos e saiba como resolver

Situação como a vivida nesta semana, com frio seguido de calor, favorece o "suor nas paredes"

A semana registrou temperaturas baixas e muito frio pela região. Depois disso, o calor começou a dar as caras e, neste fim de semana, as temperaturas chegam perto dos 30 graus. Com essa mudança brusca e rápida nos termômetros vem junto aquelas gotículas de água que escorrem pelas paredes de casa e que também deixam o chão molhado.

Essa umidade é típica ocorrer após situações como as vividas nesta semana: frio seguido de calor. “O chão, as paredes da casa estão mais frias do que do lado de fora, por isso forma essa umidade”, explica o professor de Agrometeorologia da Unisc, Marcelino Hoppe.

LEIA MAIS: É melhor abrir ou fechar a casa para evitar umidade? Especialista explica

Ele também lembra que a temperatura não pode estar muito próxima do chamado ponto de orvalho. “Quando isso ocorre, favorece a umidade.” Na manhã deste sábado, 18, por volta das 11 horas, o ponto de orvalho estava em cerca de 19 graus e a temperatura em Santa Cruz do Sul em 25 graus.

Como tentar evitar
E para tentar impedir que essa água escorra pelas paredes, o professor deixa a dica. “A casa pode ser aquecida 1 ou 2 graus com um ar-condicionado, por exemplo.”

Além disso, ele acredita que abrir ou fechar as portas e janelas não interfere na situação. “A temperatura acaba entrando pelas frestas. Essa umidade só vai acabar, quando chover.”

Previsão para os próximos dias
Segundo a meteorologista da MetSul, Estael Sias, essa umidade já deve começar a diminuir neste domingo, 19. “Há um bloqueio atmosférico que impede o retorno da chuva e do frio. Então teremos dias ensolarados, quentes e com vento norte. Com isso, a tendência é de aquecimento das superfícies e, consequentemente, diminuição da umidade. Já a chuva chega somente na sexta-feira, 24.”

LEIA TAMBÉM: Inverno começa neste sábado e deve ter dias de frio e calor