Bodas de cobre 25/07/2020 13h53

Casal celebra 61 anos de união em casa de repouso

Herberto e Silda Gollmann, de 87 e 83 anos, constituíram residência e família em Linha Saraiva, interior de Santa Cruz do Sul

A tarde dessa sexta-feira, 24, foi especial para o casal Herberto Gollmann, de 87 anos, e Silda Gollmann, 83, residentes da Instituição de Longa Permanência para Idosos (Ilpi) Reviver, em Santa Cruz do Sul. Uma celebração de bodas de cobre – de 61 anos de casados – foi realizada no local com a presença de três dos quatro filhos: Cleonice Gollmann, Elaine Bencke e Irlete Vargas. Apenas o filho Clóvis Gollmann não pôde comparecer. No pátio da instituição, mantendo o distanciamento exigido pelas regras de prevenção ao coronavírus, as filhas fizeram sua homenagem. Da sacada da varanda, os idosos retribuíram com acenos.

O casal tem ainda sete netos e uma bisneta. Até a metade do ano passado residia em Linha Saraiva, no interior de Santa Cruz. Mas, por complicações de saúde de Herberto e a impossibilidade de ambos morarem sozinhos, a família teve de encontrar uma alternativa. “São 61 anos de casados. É uma vida, estivemos sempre juntos e agora não será diferente”, afirmou Silda.

LEIA TAMBÉM: Festa de aniversário de dona Loni ficou para os 94 anos

As três filhas também participaram, mantendo o distanciamento social | Foto: Rafaelly Machado

Cleonice conta que foi sorte encontrar um espaço onde os dois pudessem permanecer juntos e continuar a sua história de vida. “Precisávamos de uma clínica que aceitasse o casal, porque a mãe não queria ficar longe dele. Conseguimos conciliar os dois juntos, o que é melhor que deixá-los afastados. Acreditamos que esse amor e dedicação que um tem pelo outro é o que os mantêm vivos, eles são muitos apegados”, afirmou.

A ideia de fazer a celebração foi da proprietária da Reviver, Joice Cristina Assmann, e de sua equipe. Desde que a instituição foi aberta em 2016, essa foi a primeira vez que um evento destes é comemorado. “Em função da pandemia e da impossibilidade de reunir mais pessoas, fizemos uma pequena celebração para não deixar a data passar em branco. Eles são muito especiais, e o carinho que um tem pelo outro chega a ser emocionante. A vó cuida muito do vô”, disse.

LEIA TAMBÉM: Idosos participam de Olimpíada da Terceira Idade