ESTADO 27/07/2020 20h20 Atualizado às 11h33

Agência FGTAS/Sine de Santa Cruz oferece mais de 300 vagas de emprego

Em todo o Estado, são oferecidos mais de 2,3 mil empregos nas agências e dois terços das oportunidades não exigem experiência

Um total de 2.364 vagas de emprego no Rio Grande do Sul é oferecido pelas agências FGTAS/Sine. Para 67% delas, não é exigida experiência, e para 25,7% não há escolaridade mínima.

As agências com os maiores números de vaga abertas são Porto Alegre Centro (345), Santa Cruz do Sul (311), São Gabriel (221), Venâncio Aires (127) e Santo Ângelo (89). As ocupações com os maiores números de oportunidades de trabalho no Estado são alimentador de linha de produção (520), servente de obras (138), auxiliar de processamento de fumo (120), pedreiro (117), carpinteiro (99) e auxiliar de logística estoquista (97).

Para se candidatar às oportunidades de emprego, os trabalhadores devem acessar o aplicativo Sine Fácil (disponível na Play Store ou Apple Store) ou entrar em contato com a agência FGTAS/Sine mais próxima. O telefone da unidade de Santa Cruz do Sul é (51) 3711 2622.


LEIA TAMBÉM: Santa Cruz é a segunda cidade no Estado que mais empregou

Com relação ao setor econômico, 49,9% das oportunidades de trabalho pertencem à indústria; 19,7%, à construção; 15%, ao setor de serviços; 12,9%, ao comércio; e 2,2%, à agropecuária. No que tange à escolaridade, 18,4% das vagas exigem Ensino Fundamental completo; 16,2%, Médio completo e 1,18%, Superior completo. Do total de vagas abertas, 48% das oportunidades de emprego oferecem de 1,5 a 2 salários mínimos; 15%, de 2 a 3 salários mínimos; e 13,7%, de 1 a 1,5 salário mínimo.

Atendimento

O funcionamento de todas as unidades coordenadas pela Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) é de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas. É permitida a entrada e permanência de público equivalente ao número de atendentes disponível nas unidades. É obrigatório, ainda, o uso de máscara e distância de, no mínimo, dois metros entre os trabalhadores que aguardam atendimento nas filas.

LEIA TAMBÉM: Contratações de safreiros mantêm mesmo patamar, apesar da pandemia