Vegana 31/07/2020 09h47 Atualizado às 16h12

Eu, Gourmet: o tartare de cogumelos e beterrabas

Confira a nova versão desta clássica receita bárbara

A origem do Steak Tartare é uma incógnita – assim como a maioria dos pratos clássicos mundiais. Alguns dizem que nasceu na Europa Central em viagem de Átila, o Huno, da Muralha da China à região onde hoje ficam França e Alemanha. As caças cruas e sem vísceras eram postas sob a sela do cavalo para amaciar. Tal prática culinária medieval era popular entre as tribos guerreiras dos tártaros, na Mongólia, que abatiam o gado que pastava nas estepes e que, por ter uma carne de baixa qualidade, acabava sendo picada para torná-la mais palatável e digestível aos bárbaros.

Já a sua versão mais próxima do que conhecemos hoje surgiu na Alemanha – onde somaram-se gema de ovo e alcaparras –, mas foi a França que a tornou famosa após a Segunda Guerra Mundial.

O Steak Tartare tem nome pomposo, mas revelase num simples e fácil picado de carne crua somado a ingredientes variados. Esta clássica receita foi adaptada numa versão vegana, onde troca-se a carne por cogumelos e beterraba. Confira!

LEIA MAIS: Eu, Gourmet: ovos estalados em creme de leite caramelizado

COM O QUE E COMO FAZER*

Ingredientes

300 g de cogumelo grande tipo Portobello sem os caules
1 colher de sopa de mostarda tipo dijon
2 colheres de chá de alcaparras escorridas e picadas
3 beterrabas pré-cozidas cortadas em cubos de 1 cm
1 cebola roxa pequena cortada em cubinhos e escaldada
1 dente de alho picadinho
Pitadas de orégano
1 colher de sopa de azeite oliva
1 colher de sopa de vinagre de maçã Pimenta preta e sal a gosto

Preparo: Leve os cogumelos para uma frigideira untada com azeite de oliva e refogue rapidamente para darem uma leve murchada (1 a 2 minutos). Corte em cubos de 1 cm e reserve. Em uma tigela junte a mostarda, alcaparras, cebola, alho, orégano vinagre e azeite de oliva. Acrescente os cogumelos e a beterraba e misture bem, juntando o sal e a pimenta. Molde com um potinho ou anel de metal as porções e sirva acompanhado de rúcula e torradinhas.

*Confira esta receita, crônicas e dicas de vinhos acessando o blog www.eu-gourmet.com

LEIA MAIS: Eu, Gourmet: o pesto de rúcula