Dedicação 22/08/2020 09h01 Atualizado às 10h24

Aposentado cultiva hortaliças na frente de casa no Bairro Aliança

Orlando Pick, de 86 anos, plantou a horta há dois, após o falecimento da esposa. Variedade é um dos destaques

Após perder a esposa Iria há dois anos, Orlando Francisco Pick decidiu depositar a energia que ainda mantém no cuidado de uma horta em frente à casa onde vive há 61 anos no Bairro Aliança, em Santa Cruz do Sul. As hortaliças são cultivadas sem agroquímicos e irrigadas somente pela água da chuva. O adubo vem do esterco de três novilhos mantidos para consumo próprio. A variedade chama atenção. É difícil não encontrar alguma hortaliça, ao menos entre as mais populares.

Apesar de se apoiar em uma muleta enquanto caminha, vitalidade não falta ao seu Orlando, que completa 86 anos no próximo dia 26. A fama da horta se espalhou pela vizinhança. A atendente de escola Rosane Preuss Stertz e a aposentada Liane Weigel saem para caminhar na Rua Barão do Arroio Grande e fazem uma parada no número 920 com frequência para adquirir algumas verduras diretamente do pé. “Faz um mês que descobrimos essa maravilha. Sempre que possível, passamos e levamos algo”, diz Rosane. “Seu Orlando é o mentor da horta, que sempre está com ótimas verduras”, elogia Liane.

LEIA MAIS: Florir faz bem ao coração: aposentado cultiva amor-perfeito há 51 anos

Sempre que podem, Liane e Rosane se abastecem com Orlando


A vida de Orlando sempre esteve ligada ao meio rural. A partir dos 14 anos, trabalhou na agricultura e na ordenha de vacas de leite com a família. Mais tarde, passou a dirigir o caminhão-tanque de um laticínio para carregar o leite dos produtores da região. Permaneceu na função durante 27 anos. “Trabalhei muito e agora, depois de aposentado, tenho a horta como um passatempo”, comenta. Para ganhar alguns trocados a mais, Orlando também vende lenha, armazenada no galpão.

Ao lado de Iria durante 65 anos, Orlando construiu uma extensa família. Criaram seis filhos – dois já falecidos. A descendência avoluma-se com 15 netos e oito bisnetos. A filha Gladis Knak acredita que destacar a vida do pai nas páginas da Gazeta do Sul é uma justa homenagem. “Ele é um ótimo pai. Sente muita saudade da esposa. Adora fazer churrasco para a família”, sublinha. No ano passado, a festa de aniversário contou com 193 convidados no Clube Aliança. Neste ano, com a pandemia, a comemoração será mais restrita. Orlando talvez seja o assinante mais longevo da Gazeta do Sul. São 63 anos ininterruptos. “Gosto de tudo na Gazeta. Fico lendo por meia hora antes de ir para a horta de manhã.”

LEIA MAIS: Alternativa à seca: cisterna é simples e segura para armazenar água

LEIA MAIS: Projeto Repensar terá ações mensais de incentivo a práticas sustentáveis