SANTA CRUZ 08/09/2020 19h43

Creches particulares retomam atividades presenciais a partir do dia 15

Escolas terão de apresentar protocolo de prevenção à Covid-19, que será avaliado pelas autoridades municipais

Na tarde desta terça-feira, 8, em reunião extraordinária realizada pelo Gabinete de Emergências para discutir, a pedido do prefeito Telmo Kirst, a possível volta às aulas na rede municipal de Santa Cruz do Sul, a secretária de Educação, Juliana Bach, acompanhada pelo Centro de Operação de Emergência em Saúde para a Educação Municipal (COE), apresentou um plano para a retomada das atividades escolares.

A proposta aprovada pelo Gabinete é de que os estabelecimentos particulares de educação infantil, que já encaminharam o protocolo com medidas contra o coronavírus e que receberam autorização do COE, poderão voltar, gradualmente, a receber as crianças já na próxima terça-feira, dia 15.

LEIA MAIS: Bandeira laranja permite retomada das aulas na região


“Esse retorno foi analisado pelo COE, deliberado e aprovado pelo Gabinete de Emergências, seguindo todos os protocolos sanitários exigidos, de forma gradual, escalonada para que a gente possa fazer esse retorno das atividades. Voltarão apenas as escolas privadas de educação infantil que tiveram os seus planos de contingência enviados e autorizados pelo COE. São somente essas instituições que terão permissão para retomar o funcionamento”, explicou a secretária Juliana.

LEIA TAMBÉM: Maior parte dos municípios gaúchos não deve retomar aulas presenciais neste mês

De acordo com a secretária, para garantir a segurança dos alunos, professores, funcionários e dos pais dos estudantes, todas as medidas sanitárias serão providenciadas, monitoradas e avaliadas com cautela. “Além da capacidade máxima de 50% de ocupação por turma, é uma condição para esse retorno nas instituições privadas autorizadas a vontade dos pais de mandar ou não os seus filhos para a escola, isso é bastante importante neste momento”, destacou.

Já as aulas da rede municipal de ensino ainda não tem data para serem retomadas. “Vamos monitorar como vai ser esse retorno gradual para que assim possamos deliberar como será o nosso retorno das atividades”, explica Juliana.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS