Coronavírus 20/11/2020 07h57 Atualizado às 17h59

Com aumento nos casos, região pode cair na bandeira vermelha

Crescimento foi de 4,7% desde o dia 14 e sete óbitos foram computados entre os dias 11 e 19. Com isso, total chega a 72 desde o início da pandemia

Com a atualização dos dados, o Vale do Rio Pardo poderá voltar a ficar na bandeira vermelha nesta sexta-feira, 20, após a divulgação da classificação das bandeiras para cada região. Desta vez, o crescimento foi de 4,7% desde o dia 14.

De acordo com a presidente da Subseção da OAB de Santa Cruz do Sul e integrante do Gabinete de Emergências, Rosemari Hofmeister, caso o governo estadual determine bandeira vermelha para a região, as regras de distanciamento podem ser aplicadas conforme as orientações de bandeira laranja, em razão do sistema de cogestão. O comércio funciona até 19 horas, os supermercados ficam abertos até 21 horas, as quadras esportivas até 23 horas e, para os bares e restaurantes, o limite é meia-noite.

Na região, de acordo com a coordenadora de Vigilância e Epidemiologia da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS), Beanir Lara, foram registrados sete óbitos entre os dias 11 e 19 de novembro nos 13 municípios de abrangência. Com isso, o total chegou a 72 desde o início da pandemia. Os seis óbitos mais recentes são resultado de internações longas, de casos confirmados entre setembro e início de outubro. Com relação aos casos, foram registrados 256 desde o dia 14, um incremento de 4,7%. Volume superior a 200 foi atingido somente em julho e agosto, meses considerados de pico da pandemia.

LEIA MAIS: Confirmados 51 novos casos de Covid-19 em Santa Cruz nesta quinta-feira

Volume está dentro do que era esperado
Na avaliação do infectologista Marcelo Carneiro, apesar do aumento no número de casos ativos, o volume está dentro do esperado para Santa Cruz do Sul. “Entramos mais tardiamente na pandemia e, por isso, vamos ter um aumento no número de casos em períodos mais tardios”, ressalta. “Se avaliarmos a questão da internação hospitalar, dá para perceber que não houve um grande impacto nos últimos dias.”

Carneiro salienta que o retorno às aulas em algumas escolas não gerou internações em pediatria, o que já era esperado. Conforme a atualização da Secretaria Estadual da Saúde, o uso de respiradores em UTI nessa quinta-feira, 19, em Santa Cruz estava em 31,2% e a taxa de ocupação de leitos Covid em 41,9%. O pico de internação foi no dia 29 de setembro, com 42 pacientes na UTI.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS