Santa Cruz 11/01/2021 07h08 Atualizado às 12h17

Panes no sistema da Corsan deixam famílias sem água por três dias

Um dos problemas mais graves foi registrado na região de Linha João Alves, onde o abastecimento era instável na noite de domingo

Quando o relógio marcou 16 horas na última quinta-feira, 7, as torneiras da casa do empresário André Bruno Bandeira, morador do Loteamento Nova Santa Cruz II, secaram. Até o fim da tarde de ontem – mais de três dias depois –, ele e a esposa Manoela Felten estavam economizando a água da caixa que abastece a pia do banheiro. Na casa, uma montanha de roupas sujas aguardava a volta do abastecimento, aumentando a indignação dos moradores dessa região de Santa Cruz do Sul. Segundo a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), vários problemas contribuíram para o desabastecimento que atingiu 18 mil economias no fim de semana.

“Foi a primeira vez que faltou água tantos dias seguidos. Porém, é comum para nós convivermos com o desabastecimento”, afirmou Bandeira. Segundo ele, além do banho, improvisado, o casal precisou gerir a água que a caixa da residência armazena, a partir da pia do banheiro. “Não conseguimos lavar a roupa, que foi se acumulando suja desde a última quinta-feira.”

Bandeira ressaltou que várias famílias no loteamento, localizado no Bairro Country, saíram ontem para casas de outros familiares, pela dificuldade da falta de água associada ao calor escaldante do fim de semana. “Realizamos um abaixo-assinado, com pedido de ajuda ao Ministério Público e à agência reguladora”, disse o morador.

LEIA MAIS: Moradores reclamam da falta de água em Santa Cruz


O casal contou que, no início da manhã de domingo, 10, parecia que o fornecimento seria restabelecido. No entanto, a água não havia retornado às torneiras até o fim da tarde. “A gente já entrou em contato com a Corsan, mas ninguém explica o que está acontecendo. Espera-se mais desse serviço prestado aos moradores de Santa Cruz do Sul”, salientou Bandeira.

Segundo a Corsan, os problemas de abastecimento teriam se iniciado na última quinta-feira (veja quadro), com uma falha na rede do Centro. Ao longo do fim de semana, equipes da estatal trabalharam na manutenção da rede, para restabelecer o serviço.

Também foram disponibilizados dois caminhões-pipa, para o abastecimento emergencial em Linha João Alves. No fim da tarde, o sistema de recalque, responsável por enviar a água para as adutoras, havia sido normalizado.

LEIA MAIS: Problema elétrico deixa pelo menos 12 bairros sem água

O que diz a empresa
– O gestor substituto da Corsan em Santa Cruz do Sul, José Marcos de Oliveira Castro, explica que os problemas que acabaram deixando 18 mil economias – pontos domiciliares e comerciais – sem água desde quinta-feira começaram a partir de uma obra, na Rua João Werlang, área central do município. A partir daí houve uma sequência de transtornos.

– Para fazer o trabalho na Rua João Werlang, segundo o gestor da Corsan, foi necessário desligar parte da rede na quinta-feira. A partir da religação começaram a surgir outros imprevistos, como um vazamento no Loteamento Terra Nova, que só foi percebido no sábado, quando voltou a operar o motor do terceiro recalque da estação de tratamento no Bairro Pedreira.

– O recalque que teve o motor religado no sábado é responsável pelo fornecimento de água para os bairros mais altos de Santa Cruz, como Linha João Alves e Country. O motor foi consertado ainda no sábado, mas voltou a falhar no meio-dia de domingo.

– A segunda parada prejudicou o fornecimento de água nos bairros Higienópolis, Belvedere, Arroio Grande, Ana Nery, Dona Carlota, Santuário, Bom Jesus, Pedreira e Faxinal Menino Deus. A Corsan informou que o segundo conserto no mesmo dispositivo foi encerrado às 14 horas de domingo, sendo iniciado o abastecimento na sequência. A previsão da companhia era de que a normalidade dos serviços fosse alcançada por volta das 19 horas.

LEIA MAIS: Problema em estação de tratamento deixa 12 bairros sem água