EXEMPLO 13/01/2021 07h49

Casal mostra que idade não é limite para a qualidade de vida

Laura e Egon Rabuske, aos 87 e 91 anos, esbanjam saúde e incentivam quem deseja deixar de lado o sedentarismo

Quem faz exercício físico vive mais, e vive melhor. Essa é a conclusão que se pode tirar quando se conversa com o simpático casal de santa-cruzenses Laura Melchiors Rabuske e Egon Francisco Rabuske, que se exercitam na academia do Sesc Santa Cruz todas as manhãs. Ele, com 91 anos, e ela, aos 87, são um exemplo para quem ainda está acomodado no sofá de casa ou na cadeira do trabalho e não encontra tempo para realizar uma atividade física. Moradores do Bairro Goiás, completarão 66 anos juntos em fevereiro próximo. Segundo Laura, a prática constante de exercícios na academia melhorou consideravelmente a qualidade de vida do casal.

Laura conta que há cerca de 50 anos consultou com um médico em Porto Alegre, após dica de um tio, que lhe recomendou o especialista Yukio Moriguchi, considerado o “pai da geriatria” no Rio Grande do Sul. Moriguchi, que em 1988 foi nomeado o principal pesquisador na área de prevenção primária da Organização Mundial da Saúde, fez uma série de recomendações a Laura, na época com “mais ou menos 38 anos”, segundo ela própria.

LEIA TAMBÉM: Até cinco milhões de mortes por ano podem ser evitadas com atividade física

Após alguns exames, o resultado não foi o que Laura esperava. “Ele (o médico) me disse que eu tinha cerca de dez anos mais do que minha idade biológica. Fiquei apavorada.” Desde então, ela tem adotado práticas mais saudáveis na sua vida, como uma alimentação balanceada e exercícios físicos. O início na academia foi sugestão de um de seus três filhos. Laura costumava caminhar na rua, e mudou para a academia por se sentir mais segura.

Para viver uma vida saudável, a recomendação de Laura, que tem sete netos e cinco bisnetos (“por enquanto”, segundo ela, que prevê mais em breve), é simples: “Caminhar uma hora por dia. ‘Sestear’ (dormir) uma hora, sem atender telefone ou porta de casa, esquecer o mundo, desligar. E uma boa alimentação”. Hoje, a esposa de Egon não tem problemas de colesterol. Ela diz que precisa se exercitar todos os dias, pois sofre de reumatismo nos músculos, o que é atenuado em muito por meio da prática de atividades físicas.

Aos que dizem viver sem tempo para fazer exercícios, Laura lembra a frase que ouviu do doutor Moriguchi: “A velhice a gente começa a tratar enquanto é jovem”. E emenda: “Tempo é questão de preferência. Quando tu quer fazer, tu arranja tempo. Quando a gente não quer, a gente não tem tempo. Sempre tem uma desculpa porque não quer. Querer é poder.”

LEIA TAMBÉM: Aprovado projeto que reconhece atividade física como essencial

“Estou muito melhor do que antes”
O barbeiro Egon Rabuske trabalhou por muitos anos no centro de Santa Cruz do Sul. Aos 91 anos, ele ainda atende alguns antigos clientes em sua residência. Egon é filho de Affonso Pedro Rabuske, que entre os anos de 1922 e 1963 foi diretor da primeira escola de Santa Cruz do Sul, que fica em Linha Santa Cruz e até hoje leva seu nome: Escola Estadual de Ensino Fundamental Affonso Pedro Rabuske.

Egon diz que a atividade física não é novidade para ele. Na década de 1960, leu um livro sobre exercícios dos soldados do Exército, e resolveu introduzir esse tipo de prática na sua vida. “Desde então eu faço minha ginástica de manhã cedo”, afirma. Na academia do Sesc, que fica na Rua Ernesto Alves, no Centro, ele começou há cerca de três meses, incentivado por Laura. E os resultados foram muito bons, segundo Egon. “Melhorei muito. As minhas pernas, os pés, para caminhar, estou muito melhor do que antes. Faço 30 minutos de bicicleta, depois os exercícios, e mais 30 minutos na esteira. E me sinto muito bem.”

LEIA TAMBÉM: COI lança campanha para estimular atividade física na quarentena

Academia do Sesc atende com distanciamento controlado
Durante a pandemia, a academia do Sesc realiza suas atividades seguindo todos os protocolos de segurança para evitar a transmissão da Covid-19. Os frequentadores têm a temperatura medida antes de entrar no local, que recebe até 26 pessoas ao mesmo tempo. Todos precisam utilizar máscaras de proteção, além de ter à disposição o álcool gel para a limpeza das mãos.

O técnico em esporte e lazer Michel Costa é o instrutor da academia do Sesc. Ele é quem orienta o casal Egon e Laura, que todas as manhãs vem logo cedo realizar suas atividades. Costa ressalta que a prática de exercícios físicos auxilia na manutenção da qualidade de vida, e é ainda mais importante para quem tem idade avançada.

“A importância da atividade física é muito grande para a nossa vida. Ainda mais na terceira idade, quando se necessita mais de mobilidade. Com o passar dos anos, a musculatura vai enfraquecendo, então o exercício físico fortalece essa musculatura, tendões, ligamentos e articulações”, explica.

LEIA TAMBÉM: Alternativa: adeptos de academia podem se exercitar em casa

De acordo com o profissional, quem não tem o gosto por fazer exercícios em academia deve manter a prática de um esporte que lhe agrade, para garantir uma vida saudável em todos os aspectos. Costa orienta uma atividade de no mínimo 30 minutos por dia, durante três vezes por semana.

Ele alerta que essas práticas também são um forte aliado na questão psicológica, pois, em época de pandemia, quando os cuidados com o distanciamento social são obrigatórios, o exercício vem auxiliar na saúde física e mental. “O pessoal busca essa socialização, sempre cuidando com o distanciamento. O exercício mantém a cabeça em dia também. O pessoal vem para se distrair, praticar sua atividade física e retornar para o seu lar mais tranquilo.

LEIA TAMBÉM: Pesquisa alerta para riscos do mau uso de suplementos alimentares


MAIS LIDAS