Vamos ajudar? 13/01/2021 09h21

Pandemia e estiagem prejudicam ações da ONG Cavalo de Lata

Organização não governamental atua libertando cavalos do sistema de tração e socorrendo animais vítimas de acidentes de trânsito e maus-tratos

A ONG Cavalo de Lata, de Santa Cruz do Sul, enfrenta dificuldades para manter as suas atividades em função da pandemia e da estiagem. A organização não governamental atua libertando cavalos do sistema de tração e socorrendo animais vítimas de acidentes de trânsito e maus-tratos. Os diretores do projeto, a publicitária Ana Paula Knak e o engenheiro Jason Duani Vargas, criaram uma vakinha online, onde a comunidade da região pode colaborar com dinheiro em qualquer quantia, para tratamento e compra de alimentos para os equinos.

“Os animais que ficam sob nossa responsabilidade após os resgates, na sua grande maioria, têm graves sequelas causadas pelo trabalho excessivo e até mesmo maus-tratos de fato. Anêmicos, com tumores, artrose, dores musculares, mal casqueados, com doenças de pele, bicheiras, doenças respiratórias, entre outras. Essas doenças se agravam pela baixa imunidade e alto grau de desnutrição com que os animais chegam até nós, e não conseguimos repor da noite para o dia o que a vida inteira de excessos lhes tirou. É um processo lento”, explica o texto divulgado com a vakinha.

LEIA MAIS: Cavalos soltos andam por mais de duas horas pelo Centro

Muitos dos cavalos acolhidos pela ONG são mais velhos e possuem males decorrentes da idade, como problemas nos dentes e cascos rachados. Por necessitarem de cuidados veterinários e medicamentos de forma constante, eles ficam sob os cuidados dos voluntários para uma aposentadoria com carinho.

No entanto, a pandemia do novo coronavírus, que já dura cerca de dez meses na região, impediu a equipe de organizar eventos como o bingo e almoços, que geram receita para os cuidados com os animais, além da coleta e venda de tampinhas, parte fundamental da arrecadação. As ações nas escolas, com as crianças, também não foram realizadas durante 2020. Com a estiagem, os cavalos acolhidos estão sem pastagens e quase sem água nos lagos e açudes, o que obriga os voluntários a aumentar a compra de feno para esses animais.

LEIA MAIS: ONG se posiciona contra isenção de multa a proprietários de animais resgatados

COMO AJUDAR

Além da contribuição pela Vakinha no link http://vaka.me/1687896, é possível ajudar a ONG através do Programa Nota Fiscal Gaúcha, pelo Pag Seguro, como doação recorrente ou com depósitos direto na conta da Associação Cavalo de Lata na Cooperativa Sicredi, Ag: 0156 Conta 17105-9 CNPJ 28.132.831./0001-36. A comunidade pode ajudar contribuindo com a coleta de tampinhas plásticas e no Troco na Lata, além de deixar doações como crédito nas agropecuárias, para que produtos sejam adquiridos conforme a necessidade dos animais.

Contato pode ser feito com os responsáveis pelo WhatsApp nos telefones (51) 99993 1805 ou (51) 99682 5108, pelo Facebook @CavaloLata ou pelo e-mail ong.cavalodelata@gmail.com.

LEIA MAIS: Pandemia prejudica ações da causa animal; saiba como ajudar