Trânsito 21/02/2021 21h09 Atualizado às 14h16

Obras na RSC-287 devem ser concluídas no início de março

Recapeamento começou no último dia 8, próximo à praça de pedágio de Venâncio Aires e está causando diversos congestionamentos

As obras de recapeamento na RSC-287, que tiveram início no último dia 8, no trecho próximo à praça de pedágio de Venâncio Aires, têm testado a paciência dos motoristas que trafegam pela rodovia. Nos últimos dias, a Gazeta do Sul recebeu diversas reclamações sobre as intervenções. Segundo os usuários, no local onde o trânsito é intercalado – fluxo liberado entre dez e 15 minutos em cada um dos sentidos –, são registrados congestionamentos e demora de quase uma hora para a travessia.

A Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) explicou nessa sexta-feira, 19, que as obras realizadas no trecho de 12 quilômetros fazem parte de um contrato assinado em janeiro. O investimento é R$ 3,5 milhões, com recursos procedentes da praça de pedágio de Venâncio Aires. Os pontos que recebem melhorias ficam entre os quilômetros 74 e 86, das proximidades da Ervateira Elacy, em Linha Ponte Queimada, até as imediações da praça de pedágio em Vila Arlindo. A previsão é que o trabalho, que é executado por três equipes de um consórcio formado pelas empresas Conpasul, Coesul e Giovanella, seja concluído até o dia 5 de março, como explica o engenheiro da EGR, Luís Dutra. “A obra nesse trecho faz parte de uma reivindicação de Venâncio Aires de alguns meses atrás. Naquela época a rodovia já estava ruim, mas com o passar do tempo o problema se agravou”, diz. “Estamos com três equipes para agilizar o serviço e evitar o menos possível interferir neste trecho, pois sabemos que o tráfego de veículos é intenso. Pedimos cautela e cooperação dos motoristas, pois são melhorias necessárias.”

LEIA MAIS: Obras causam lentidão e irritam motoristas na RSC-287 em Venâncio Aires

Enquanto o novo consórcio Via Central não assumir os 204,5 quilômetros da rodovia, entre Tabaí e Santa Maria, a EGR, responsável pela manutenção e conservação da via, promete investir R$ 28 milhões em reparos. As obras devem ser realizadas dentro dos próximos três meses.

Enquanto a rodovia segue em manutenção, uma das opções para os motoristas que vão a Porto Alegre é fazer o trajeto por Passo do Sobrado, utilizando a ERS-405 (entre Pinheiral e Vale Verde), depois a ERS-244 (de Vale Verde a General Câmara) e a ERS-401 (de General Câmara até o entroncamento com a BR-290).

Usuários reclamam da demora

O industriário Jair Luis Alles, 47 anos, que reside no Bairro Linha Santa Cruz, em Santa Cruz do Sul, aguardou por mais de uma hora no congestionamento. Ele se deslocou durante a manhã de ontem até Venâncio Aires, para adquirir um novo veículo. “Saí de casa às 9h05 e cheguei em Venâncio às 10h50. Não tinha um compromisso com hora marcada, como muitos que ali aguardavam. Mas é algo muito chato, porque tinha que ficar com o carro parado e, por causa do calor, com o ar-condicionado ligado. Tem a questão do custo e também o estresse que causa”, comenta.

Um dos leitores do Portal Gaz, João Aurélio Fagundes, relatou situação semelhante ao usar a rodovia quase no mesmo horário. “Em Venâncio está tudo congestionado. Eu saí às 8h45 de Santa Cruz e ainda estou parado pouco depois do pedágio”, disse, por volta das 10h50.

LEIA MAIS: Fim de tarde de congestionamento na RSC-287 em Venâncio Aires