Transporte público 01/03/2021 19h58 Atualizado às 22h24

Linhas de ônibus terão reforço a partir desta terça em Santa Cruz; confira o cronograma

Restrições que estão em vigor desde sábado foram implementadas devido à bandeira preta

Após o lockdown que vigorou no último final de semana em Santa Cruz do Sul, as regras da bandeira preta, vigente em todo o Estado até o próximo domingo, 7, seguem valendo. Uma delas é a alteração da frota de ônibus coletivo, que poderá operar com 50% da capacidade total dos veículos e com tabela de linhas e horários reduzida.

A medida que passou a valer ainda no sábado, 27, pegou muitos usuários de surpresa na manhã desta segunda-feira, 1º. Isto porque quem precisou se deslocar para o trabalho teve poucas opções de horários. Em algumas linhas, os itinerários do bairro para o Centro saíram às 6 horas e em outras às 7 horas. Depois disso, somente às 11 horas ou às 12 horas, com retorno apenas no fim da tarde. 

LEIA MAIS: Após lockdown, seguem as regras da bandeira preta em Santa Cruz; veja quais são

A situação causou diversas reclamações. Há relatos sobre ônibus lotados e de passageiros que não conseguiram embarcar. O Consórcio TCS esclareceu que irá reforçar a partir desta terça-feira, 2, as linhas pontuais de acordo com a demanda da população.

“O movimento foi maior que o esperado e, em todas as linhas que tiveram problemas registrados, iremos reforçar os coletivos”, explicou o gerente Zaqueu Forgiarini. “Os horários do meio da manhã foram suprimidos justamente para impedir as pessoas que não precisam sair para o trabalho, para que fiquem em casa. Depois os do meio-dia e à tardinha foram pensados para que os trabalhadores pudessem retornar para casa”, destacou. 

LEIA MAIS: Prefeitura promete ajustes após reclamação de usuários sobre ônibus lotados

Sobre a superlotação em alguns coletivos, Forgiarini salientou que há falta de bom senso dos usuários. “A capacidade máxima permitida é 50% nos veículos, isso quer dizer todos os passageiros sentados. Não pode nem deve ter ninguém de pé. Mas, quando o motorista para para pegar dois ou três passageiros que ainda faltam para completar o limite da capacidade, sempre aparecem mais e vão subindo. Não importa se o motorista disser que vem reforço na sequência, eles insistem e não tem como retirar pra fora. Falta bom senso das pessoas”, acrescentou.

Confira o cronograma de reforço: 

Linha 10 – Esmeralda Flamengo
Saída Bairro – 6h20, 7h30
Saída Centro – 18h05

Linha 16 – São João/ Murtinho/Ultravarp 

Saída Bairro – 6h50, 7h50
Saída Centro –
17h35, 18h35

Linha 32 – Carlota Rauber 
Saída Bairro – 6 horas, 7 horas, 8 horas
Saída Centro –
17h35, 18h35

Linha 28 – Menino Deus /Tumelero

Saída Bairro – 6h30, 7h30, 8h30
Saída Centro –
17 horas, 18 horas

Inclusão de horários:

Linha 10 – Esmeralda Flamengo 
Saída Bairro – 13h30, 17h05

Linha 20 – Murtinho 
Saída Bairro – 07h30, 8h30, 11h30, 12h30, 16h30, 17h30, 18h30
Saída Centro –
8h05, 11h05, 12h05, 16h05, 17h05, 18h05

LEIA TAMBÉM: Helena Hermany assina novo decreto com regras durante a bandeira preta

Usuários foram pegos de surpresa

A diarista Cirlane Schimidt, 42 anos, que mora no Bairro Bom Jesus, optou por se deslocar a pé até o trabalho na manhã desta segunda-feira, 1º. Segundo ela, o ônibus que passa pelo bairro às 7h30 estava lotado. “Fiquei apavorada com a quantidade de pessoas e decidi ir a pé para me proteger. Estamos em uma situação tão complicada, com diversos casos de Covid, e acho que deveria ter mais horários para não haver aglomerações”, afirmou. 

No Bairro Faxinal Menino Deus, a auxiliar de limpeza Jaqueline da Silva Pereira, 40 anos, não conseguiu embarcar no transporte. Desde as 6 horas até as 7h50 na parada, quatro veículos passaram pelo local e nenhum deles parou. Dois deles estavam lotados com passageiros em pé e dois visivelmente com 50% da capacidade total do veículo (todos os usuários sentados). Além dela, outras oito pessoas também aguardavam pelo transporte.

LEIA MAIS: Afinal, qual é a diferença entre lockdown e bandeira preta?

“Como eu não tinha dinheiro para pagar uma corrida de aplicativo, liguei para meu marido ir me buscar e depois me deixar no trabalho, já estava atrasada. Os outros chamaram táxis e motoristas de aplicativo”, comentou. 

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS