Medida 02/03/2021 10h16

Prefeita de Santa Cruz defende a implantação de lockdown na região

De acordo com Helena, a circulação de pessoas entre os municípios contribui para a disseminação do coronavírus e dificulta o combate à pandemia

Depois de um fim de semana de severas restrições para circulação de pessoas e funcionamento de estabelecimentos, com o chamado lockdown, a prefeita de Santa Cruz do Sul, Helena Hermany, disse em entrevista à Rádio Gazeta FM 107,9 que pretende alinhar com os demais prefeitos do Vale do Rio Pardo a implantação de um novo lockdown, desta vez em âmbito regional. De acordo com Helena, a circulação de pessoas entre os municípios contribui para a disseminação do coronavírus e dificulta o combate à pandemia.

“Eu acredito que tenha que se fazer um lockdown regional. Tem muitas pessoas que vão de um município para outro, e aqui eles são muito próximos. Venâncio Aires está numa situação calamitosa e também fez o lockdown, mas tem outros onde a situação não está tão grave e a circulação de pessoas acaba levando o vírus de um lugar a outro”, disse Helena. Ela defende até mesmo uma parada generalizada das atividades em nível estadual, como forma de tentar conter o avanço da Covid-19 e aliviar o esgotamento da rede hospitalar gaúcha.

LEIA MAIS: Secretários de Saúde defendem lockdown nos Estados em que UTIs estão lotadas

Helena mais uma vez apelou para a sensibilidade e o bom-senso da população, pedindo que todos se esforcem e colaborem com o poder público no controle da doença. “Eu sempre digo e repito: mesmo que não haja um lockdown explícito, que cada um tenha a consciência de que o melhor é ficar em casa, sair só em caso de emergência e respeitar os protocolos que já foram amplamente divulgados. Para que a gente possa, com o esforço de cada um, melhorar a situação”, completou.

Ao comentar sobre possíveis ampliações no sistema de saúde para aumentar o número de atendimentos, a prefeita afirmou que todos os esforços ao alcance do Município já foram feitos. “A capacidade está no limite. Não adianta aumentar leitos se nós não temos mais médicos, enfermeiros e intensivistas disponíveis. Nós já colocamos tudo o que foi possível”, disse. Ainda segundo Helena, o Ambulatório de Campanha só não está funcionando 24 horas por dia em razão da falta de profissionais para trabalhar. “Os recursos humanos estão esgotados, não existe mais como ampliar a capacidade de atendimento. Nós precisamos é ampliar a consciência coletiva da nossa comunidade.”

LEIA TAMBÉM: Com falta de médicos, prefeito de Venâncio assume atendimentos em posto de saúde

Na semana passada, a exemplo de Helena, o prefeito de Venâncio Aires, Jarbas da Rosa, já havia feito um apelo à população para que colabore. Jarbas, que é médico e secretário de Saúde da Capital do Chimarrão, disse nunca ter visto em toda sua carreira uma situação tão crítica quanto a vivida pelo Hospital São Sebastião Mártir hoje. Ele também defendeu a implantação de um lockdown em âmbito regional e estadual para conter o avanço do vírus.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS